Movimento cria financiamento coletivo para garantir renda a catadores

(Foto: Pimp My Carroça/ Reprodução)

O movimento Pimp My Carroça criou um financiamento coletivo para garantir que catadores tenham uma renda mínima durante a quarentena e possam ficar em casa, ajudando no combate do Coronavírus.

O movimento ressalta que, ao contrário de profissionais que podem fazer home office, os catadores dependem da coleta de resíduos e não podem ficar em casa, como aconselhado pela Organização Mundial da Saúde.

“O trabalho dos profissionais da reciclagem sempre beneficiou a todos nós. É hora de demonstrar solidariedade com quem mais faz pela reciclagem e pelo meio ambiente no Brasil. Se cada um doar um pouquinho – e divulgar muito! – a gente consegue, ao mesmo tempo, proteger tanto a saúde quanto a renda deles”, afirma Mundano, idealizador do Pimp My Carroça.

O valor alcançado com a iniciativa será distribuído entre os quase 3 mil catadores autônomos cadastrados no aplicativo Cataki, plataforma criada pelo Pimp My Carroça para conectar esses trabalhadores com as pessoas que produzem os resíduos recicláveis e entulho.

O Pimp My Carroça é um movimento que atua desde 2012 para tirar os catadores de materiais recicláveis da invisibilidade e aumentar sua renda, através da arte, sensibilização, tecnologia e participação coletiva.

Desde o seu início, mais de 2.000 catadores/as foram atendidos, mobilizando cerca de 1.200 grafiteiro(as) e aproximadamente de 2.500 voluntário(as). Além de 23 cooperativas de catadores que receberam mutirões de pintura. As ações do projeto foram replicadas em cerca de 50 cidades de 14 países.

Para contribuir com a iniciativa acesse o link: https://www.catarse.me/renda_minima_catadores