Aplicativo ensina regras de rastreabilidade em frutas e hortaliças para produtor

Produtor no campo de arroz com um tablet
(Foto: Freepik)

A Emater do Distrito Federal desenvolveu um aplicativo para ajudar o agricultor a anotar as informações necessárias para que o produto seja rastreado até chegar ao consumidor final.

A rastreabilidade de alimentos se tornou obrigatória após o Ministério da Agricultura e da Anvisa publicarem uma instrução normativa. A norma determina que o produtor informe tudo o que acontece com o produto do plantio a comercialização.

O governo quer saber quando o alimento foi plantado, os insumos usados no cultivo, quando foi colhido, a forma que foi embalado, entre outras informações.

“O objetivo da rastreabilidade é garantir a segurança alimentar ao consumidor. Não deverá implicar em aumento de preço dos alimentos, pois estudos demonstram que o produto rastreado fica até mais barato, pois o produtor evita o desperdício com uso excessivo de insumos”, explica Hugo Caruso, coordenador geral de Qualidade Vegetal do Mapa.

No aplicativo, o produtor consegue inserir todas as informações, como o defensivo usado, o adubo aplicado na lavoura e se houve algum problema de praga, em apenas cinco minutos, mesmo sem internet.

As regras de rastreabilidade valem para frutas, como maçã, uva e citros, para a batata e para hortaliças – alface, repolho, tomate e pepino. A partir de agosto, as normas passam a valer para mais 24 produtos.

Em caso de irregularidade, os produtores podem ser multados.