Físico Stephen Hawking morre aos 76 anos

(Foto: AP Photo/ Elizabeth Dalziel-File)

O físico e pesquisador britânico Stephen William Hawking faleceu aos 76 anos, nesta quarta-feira (14), em sua casa na Inglaterra.

O cientista nasceu em 8 de janeiro de 1942, dia em que a morte de Galileu Galilei completou exatamente 300 anos, e no dia de sua morte, nascia Albert Einstein, em 14 de março de 1879.

Formado em Física na Universidade de Oxford, Hawking começou a estudar cosmologia, a ciência que estuda o Universo em sua totalidade, e ficou conhecido pelo seu trabalho pioneiro sobre a gravidade e a origem do universo.

O cientista propôs, em 1974, que a Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein leva a concluir que o início do Universo, o Big Bang, provavelmente, terá um fim com buracos negros. A tese implica que a teoria quântica e a teoria da relatividade deve estar conectadas, hipótese que gera polêmica até hoje.

A teoria partiu do princípio de que, por causa do caráter aleatório da teoria quântica, não seria possível a existência do vazio absoluto no Universo e desta forma, mesmo o vácuo espacial teria flutuações em seus campos energéticos. Ele detalha o tema no livro best-seller “Uma breve história do tempo”, lançado em 1988 e um dos seus 14 livros publicados.

Stephen Hawking também se destacou por ser portador da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). Em certo ponto, o físico conseguia apenas mover um dedo e os olhos voluntariamente. Apesar da cadeira de rodas e a dificuldade para se comunicar, a doença nunca impediu Hawking de continuar as suas pesquisas.

Em 2014, sua história foi contada no filme “A teoria de tudo”, que rendeu o Oscar de melhor ator a Eddie Redmayner, que o interpretou no cinema.

** Com informações do G1 e da Veja