Jovens cientistas ganham prêmio por pesquisas inovadoras

(Foto: Divulgação)

Nove estudantes, do ensino médio à pós-graduação, e uma instituição de ensino, de nove estados diferentes tiveram seus trabalhos para conservação da natureza reconhecidos com o Prêmio Jovem Cientista.

A jovem Juliana Estradioto venceu na categoria ensino médio por ter desenvolvido um filme plástico biodegradável a partir da casca do Maracujá

“Eu percebi o resíduo do maracujá sendo gerado. E a partir da casca, eu fiquei muito instigada para descobrir o que se podia fazer com ela. Fiquei motivada a propor uma solução ecológica, uma alternativa aos plásticos, um dos vilões do século”, conta.

Os vencedores das categorias Mestre e Doutor; e Ensino Superior ganham um prêmio em dinheiro, que vai de R$ 12 mil a R$ 35 mil. Os vencedores do Ensino Médio recebem um notebook cada. E todos recebem bolsas de estudo do CNPq, nas modalidades de iniciação científica até o pós-doutorado.

Conheça os vencedores da 29ª edição do Prêmio Jovem Cientista:

Mestre e Doutor

1º Lugar: João Vitor Campos e Silva – O gigante das várzeas: o manejo do pirarucu como modelo de conservação da biodiversidade e transformação social na Amazônia.

2º Lugar: Carolina Levis – Domesticação da floresta amazônica: um legado dos povos do passado e do presente para a humanidade.

3º Lugar: Gelson Vanderlei Weschenfelder – Os super-heróis das histórias em quadrinhos como recursos para a promoção de resiliência para crianças e adolescentes em situação de risco.

Ensino Superior

1º Lugar: Célio Henrique Rocha Moura – Os valores naturais das unidades de conservação do Recife: mata de Dois Irmãos e mata do Engenho Uchôa.

2º Lugar: Rafaella Santos Rêda – Dispositivo de comunicação para surdocegos através da emissão e recepção de sinais sensíveis ao toque.

3º Lugar: Jeferson Almeida de Oliveira – Sobreposição de Parque Estadual a assentamento agroextrativista na Amazônia brasileira.

Ensino Médio

1º Lugar: Juliana Davoglio Estradioto – Desenvolvimento de um filme plástico biodegradável a partir do resíduo agroindustrial do maracujá.

2º Lugar: Sandro Lúcio Nascimento Rocha – captação e uso da água da chuva no ambiente escolar através de caixa feita a partir de garrafas pet e cimento ecológico da cinza da fibra do coco (cocos nucifera).

3º Lugar: Leonardo Silva de Oliveira – Aquameaça: uma aplicação Android para identificação e monitoramento de ameaças a ecossistemas aquáticos.

** Com informações da Agência Brasil