Pesquisadora transforma materiais orgânicos em bioplástico

(Foto: NUST MISIS)

A cientista Valeria Solovyova, estudante de mestrado em “Tecnologias e Materiais para Produção Digital” na Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia (NUST MISIS), desenvolveu um bioplástico caseiro a partir de uma matriz orgânica.

O material renovável é feito com gelatina, serragem, água e glicerina. Devido à falta de acesso ao laboratório durante a quarentena, Solovyova adaptou o método de fabricação para as condições de casa.

“A ideia surgiu por acaso quando percebi uma grande quantidade de serragem que sobra da fresadora em nosso laboratório. Claro, usar serragem de madeira compensada cortada em uma fresadora não é a melhor opção por causa da cola e do formaldeído contidos, mas encontrar um novo uso para a serragem quando um grande desperdício de madeira tornou-se uma tarefa interessante para mim. No meu trabalho usei serragem de coníferas limpa”, disse Solovyova.

A pesquisadora ressalta que muitos biocompósitos podem ser feitos de materiais orgânicos como bagaço de café, cascas de nozes, fibras vegetais, etc. Mas praticamente não há exemplos do uso de uma matriz de ligante orgânico. Portanto, tais materiais não podem ser chamados de 100% ecológicos, já que uma de suas partes é sintética.

O novo bioplástico poderá ser usado na fabricação de utensílios domésticos que não requerem alta qualidade e precisão, como recipientes para armazenamento de alimentos secos, louças descartáveis ou filmes finos para embalar ou fazer sacolas.

O material é uma alternativa aos plásticos tradicionais, que minimizam os danos ao meio ambiente. Atualmente, apenas 5% de todos os plásticos produzidos no mundo são reciclados e reutilizados.