Startup israelense produz bife à base de plantas em impressora 3D

startup redefine meat
(Foto: Divulgação)

A startup israelense Redefine Meat desenvolveu o “Alt-Steak”, um bife de carne à base de plantas produzido em uma impressora 3D. O produto começará a ser testado em restaurantes de luxo ainda este ano.

A impressora 3D foi desenvolvida pelos fundadores da startup para melhorar a textura da carne alternativa e criada em laboratório. Segundo o presidente-executivo da Redefine Meat, Eshchar Bem-Shitrit, o equipamento é capaz de replicar a estrutura do músculo do animal, imprimindo camadas do que chamam de “alt-muscle”, “alt-fat” e “alt-blood”, a partir de um modelo 3D complexo.

A startup começará a vender as impressoras para produzir os bifes em escala industrial em 2021. As máquinas poderão imprimir 20 quilos de “carne” por hora e, eventualmente, centenas, a um custo menor do que a carne de verdade.

A empresa venderá as impressoras para restaurantes, que podem adaptar a receita digital para que “as mudanças no produto tenham custo ou complexidade zero”.

“Podemos usar um modelo 3D de um produto de carne totalmente diferente com a mesma máquina, processo e ingredientes, enquanto as tecnologias tradicionais de produção de alimentos precisam mudar formulações inteiras. Também podemos iterar um bife para ficar mais macio, mais duro, mais suculento, com menos gordura e muito mais – tudo com um simples clique de um botão”, disse Bem-Shitrit à Fast Company.

Com a tecnologia, a Redefine Meat pretende capturar uma fatia do mercado de alternativas à carne. A categoria é impulsionada pela preocupação dos consumidores com os impactos causados pela pecuária no meio ambiente. Segundo o Barclays, as vendas de alternativas à carne podem atingir US$140 bilhões até 2029, cerca de 10% do mercado mundial de carne.

Os fundadores da startup acreditam que este é o próximo passo no mundo das proteínas alternativa. Além de participar das mudanças que estão acontecendo na indústria alimentícia.