Mitos & Verdades: Vitamina D

Mais de um bilhão de pessoas no mundo tem deficiência de vitamina D – importante na formação e manutenção da saúde óssea – e a principal causa é falta de exposição da pele à luz solar. Estudiosos apontam que o fato se deve ao estilo de vida atual, onde as pessoas acabam ficando muito tempo em locais fechados, seja trabalhando ou estudando, ao longo do dia.

Confira abaixo os mitos e verdades elaborados pela Dra. Talita Poli Biason, gerente médica da unidade MIP Aché.

A Vitamina D é um hormônio.

VERDADE. A vitamina D é conhecida com esse nome desde a sua descoberta, no início do século XX, a partir de estudos sobre raquitismo. Descobertas posteriores mostraram que a vitamina D não era bem uma vitamina, já que ela pode ser produzida pelo organismo através da exposição solar, e segundo a definição, vitaminas são nutrientes que não são produzidos, ou são produzidos em quantidades insuficientes pelo organismo. Mas já era tarde demais para mudar o nome. Sendo assim, considera-se tecnicamente a vitamina D como um pró-hormônio e não há nada de errado em chamá-la de vitamina D, já que foi consagrada assim ao longo do tempo.

A exposição indireta ao sol ajuda a sintetizar Vitamina D.

MITO. As janelas, por exemplo, atrapalham a absorção da vitamina D, já que os raios ultravioletas do tipo B (UVB) capazes de ativar a síntese da vitamina, não conseguem atravessar os vidros. Também de nada adianta expor-se ao sol com roupas que cubram grande parte do corpo. O ideal é que grandes áreas como braços e pernas sejam expostos diretamente ao sol, pois a quantidade de vitamina D que será obtida é proporcional à quantidade de pele que está exposta.

Mulheres gestantes também precisam ficar atentas ao consumo de Vitamina D.

VERDADE. Para as mulheres gestantes e em períodos de lactação, o cuidado deve ser redobrado, pois nessas fases elas se tornam responsáveis pela nutrição de seu corpo e do feto. Níveis adequados de vitamina D mantém absorção adequada de cálcio pelo corpo da mulher, ajudando-a a suprir as necessidades desse mineral para o bebê sem ter que mobilizar o cálcio do seu próprio osso.

Por meio da alimentação pode-se obter os níveis adequados de Vitamina D.

MITO. É possível encontrar Vitamina D principalmente no óleo de bacalhau e em peixes gordurosos, dentre eles, salmão, atum, sardinha e cavala. Outros alimentos como iogurte e leite são fortificados com a substância, porém, mesmo assim, o consumo alimentar não é suficiente para manter seus níveis adequados. A Vitamina D é obtida, principalmente por meio da luz solar, com  90%  sendo  sintetizada na pele humana pela radiação (UV-B), e de fontes dietéticas, o equivalente a 10%. Para manter os níveis adequados da vitamina no organismo, seria necessário se expor ao sol pelo menos 10 a 15 minutos, das 10h às 15h, sem proteção solar. Vale lembrar, que embora seja boa para a síntese de vitamina D, a exposição solar nesse período do dia não é recomendada por dermatologistas, devido ao aumento da incidência do câncer de pele.

O uso de suplementação para reposição de Vitamina D está recomendado em determinados grupos de pessoas.

VERDADE. Os suplementos de vitamina D podem ser utilizados em casos de constatação da deficiência dessa vitamina ou após a avaliação clínica dos fatores de risco para que ela ocorra. A falta ou o risco de falta de vitamina D é diagnosticado por exame de sangue ou pela avaliação médica, considerando os fatores de risco para essa deficiência. Ou seja, somente o médico poderá avaliar se há necessidade de suplementação em cada pessoa, levando em consideração o momento de vida e a história de cada um. Como é difícil conseguir a quantidade necessária diária só com a dieta alimentar, o ideal é ingerir suplementos, mas sempre com supervisão médica, pois o seu excesso pode acarretar em problemas de saúde.

O uso do filtro solar não atrapalha a absorção da Vitamina D.

MITO. O filtro solar reduz a capacidade do organismo em sintetizar a Vitamina D. A utilização, por exemplo, de um filtro solar com fator de proteção 30, chega a diminuir em 95% a síntese cutânea da vitamina D.