Pecuária orgânica só certificada

Carne orgânica é certificada somente se for de animais alimentados com produtos cultivados organicamente, dado ar fresco e com acesso ao pasto ar livre e sem antibióticos ou hormônios de crescimento.

No Brasil, A Associação Brasileira de Pecuária Orgânica – ABPO – tem parceria coma ONG WWF e são rigidamente certificadas para atestar a qualidade da carne com rastreabilidade de todo animal.

O manejo orgânico visa o desenvolvimento econômico e produtivo que não polua, não destrua o meio ambiente e que valorize o homem.

Na criação, o gado orgânico é rastreado desde seu nascimento até o abate, com registro de peso, alimentação, vacinas, entre outras informações, em fichas individuais.

A alimentação dos animais é observada com especial atenção. Além da pastagem, outros ingredientes compõem o cardápio do gado orgânico como suplementação alimentar com grãos e rações isentas de organismos transgênicos.

Outra preocupação é quanto ao bem-estar dos animais. As fazendas trabalham com sombreamento das pastagens e currais em formato circular para que o gado não se machuque.

É exigida e monitorada a vacinação, inclusive contra febre aftosa. Em caso de alguma enfermidade, o gado orgânico é tratado com produtos fitoterápicos e homeopáticos.

Atualmente, apenas pecuaristas dos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul produzem carne orgânica certificada no país.

São 26 fazendas, aproximadamente 131 mil hectares em pastagens com mais de 100 mil cabeças de gado.