Beraca desenvolve base repelente com ativo a partir da andiroba

(Foto: Reprodução/ Google)

Com a epidemia de dengue, zika vírus e chikungunya provocada pelo Aedes aegypti, no último ano, as vendas de repelente tiveram um salto. Segundo uma análise feita pela consultoria Nielsen, o valor movimentado saltou de R$ 145,4 milhões, em 2014, para R$ 217,4 milhões, em 2015, número considerado o maior da história para a categoria.

Diante desses dados, a Beraca desenvolveu uma nova base para repelentes de insetos com ativo produzido da andiroba, uma planta utilizada em produtos voltados aos cuidados da pele e renovação cutânea, pela propriedade anti-inflamatória, hidratante e cicatrizante.

“A proposta da Beraca foi criar uma base repelente com um volume menor de ativos sintéticos em sua composição – entre eles, o DEET (N,N-dietil-3-metilbenzamida), sem deixar a eficiência de lado, com a mesma duração de repelência mínima de 6 horas. Para isso, investimos na sinergia entre os ingredientes, priorizando o uso de soluções naturais, como a andiroba. Dessa forma o produto pode ser usado por gestantes, idosos e crianças acima de 2 anos sem preocupações”, explica Daniel Sabará, CEO da empresa.

Além de substituir um aditivo químico por um natural em sua composição, o produto também beneficia o meio ambiente e estimula o desenvolvimento social de comunidades amazônicas responsáveis pelo fornecimento de sementes na Região Norte do país.

“No passado, boa parte das sementes de andiroba era descartada. Hoje, por meio de treinamentos e capacitações, garantimos a manutenção das florestas em pé, promovemos uma melhora na condição de vida e ainda oferecemos produtos altamente eficientes. Para se ter uma ideia, para a produção de 1 tonelada de óleo são necessárias 23 pessoas trabalhando na coleta e no processamento das sementes de andiroba, o que garante a cada família envolvida uma renda extra mensal de, aproximadamente, R$ 485,00”, conta Sabará.

A iniciativa parte do Programa de Valorização da Sociobiodiversidade®, criado no ano 2000 pela Beraca, que visa atuar como uma ponte entre mais de cem comunidades agroextrativistas espalhadas pelo Brasil, com mais de 2.500 famílias, e os principais fabricantes mundiais de cosméticos. Para isso, o projeto conta com três pilares: “Rentabilidade Adequada”, “Preservação da Água e Biodiversidade” e “Desenvolvimento Humano de Forma Equilibrada”.

Considerada uma das empresas mais sustentáveis do Brasil, a Beraca é especializada no desenvolvimento de tecnologias, soluções e matérias-primas de alta performance para as indústrias de cosméticos, produtos farmacêuticos e cuidados pessoais. Além de ser uma das principais fornecedoras de ingredientes naturais e orgânicos provenientes da Amazônia e outros biomas brasileiros.

Para mais informações, acesse: www.beraca.com