Desmistificando: Tomar banho depois de comer faz mal?

(Foto: Reprodução)

Desde muito cedo, a gente ouve o pai e a mãe, advertindo para não tomar banho ou nadar após alguma refeição. As histórias, os exemplos, os mitos se multiplicam e sempre aparece alguém com um caso escabroso de alguém que morreu na piscina ou que entrou no mar e nunca mais saiu, só porque estava com o estômago cheio.

A medicina explica o que ocorre com o corpo após a ingestão de alimentos e, como em todas as outras situações, não se pode estabelecer uma “competição” por energia, visto que o fluxo sanguíneo e uma boa carga de oxigênio são direcionados para a musculatura do sistema digestivo para que a digestão ocorra de maneira satisfatória.

Como é de se esperar, se outra atividade forte, que exija energia, estiver sendo desenvolvida simultaneamente com a da digestão, uma delas vai sair perdendo. Por esse motivo, não se recomenda fazer nenhum esforço grande após a ingestão de alimentos.

O mais indicado é a pessoa calcular o quanto ela comeu e achar um tempo que seja suficiente para uma boa digestão. Se a refeição foi leve, teve frutas, suco ou mesmo carboidratos, uma hora depois estará tudo resolvido. Mas, se ela se entregou aos prazeres de uma feijoada completa, recomenda-se aguardar de três a quatro horas para que se inicie qualquer outro tipo de esforço.

A permanência na água não faz mal nenhum, mas, o exercício que se pratica tem relação direta com a carga de energia exigida para ele. Assim sendo, use o bom sendo e deixe de lado as crendices.

Fonte: UOL