Versace anuncia o fim do uso de peles de animal

(Foto: Reprodução/ Instagram Donatella Versace)

A designer italiana Donatella Versace anunciou que, a partir de 2019, as coleções da marca não terão mais a presença de pele animal.

Em entrevista à The Economist 1843, Donatella falou sobre seu descontentamento tardio: “Pele animal? Estou fora disso. Eu não quero matar animais para produzir moda. Isso não é certo”.

A notícia é uma mudança radical para a grife italiana e representa a transformação que está acontecendo na indústria da moda. Em 2006, desfiles da Versace foram interrompidos por protestos da ONG PETA, que se dedica aos direitos dos animais, para interromper a produção de roupas com material de origem animal.

Com o anúncio, a Versace se une a outras grandes marcas, como Tom Ford, Givenchy e Michael Kors, que também se posicionaram a favor do movimento anti-pelenos.

Em outubro de 2017, a Gucci anunciou o fim da pratica terrível, a partir da coleção de verão 2018 e a sua associação à Fur Free Alliance (Aliança Livre de Pele, em tradução livre), uma organização que incentiva o fim da exploração e da morte de animais.

Com a decisão, a grife italiana deixa de lado um US$ 11.8 milhões por ano, por uma grande causa.