Doenças do Aedes já causaram mais de 1,9 milhão de casos em 2016

(Foto: Marvin Recinos/ AFP)

Até o dia 28 de novembro, o Brasil registrou 1.946.765 casos de dengue, chikungunya e zika vírus e 734 pessoas morreram em decorrência das três doenças, de acordo com o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (14).

Segundo os dados, 1.475.940 foram diagnosticados com dengue, fazendo com que 2016 seja o segundo ano com o maior número de casos da doença na história, atrás apenas de 2015, com 1.649.008 ocorrências.

Até o fim de novembro, 590 pessoas morreram e 812 tiveram casos graves da doença. O estado mais afetado é Minas Gerais, com 526.064 casos. Seguido por São Paulo e Goiás, com 204.568 e 113.098 casos de dengue, respectivamente.

Em relação a Febre Chikungunya, houve um crescimento de 727,3% nos casos, em comparação ao mesmo período do ano passado:  de 31.418 para 259.928. O estado mais afetado este ano é a Bahia, com 50.236 casos, seguida de Pernambuco, com 46.484, e do Ceará, com 44.596.

Já o zika, atingiu 210.897 registros, sendo 10.608 casos em mulheres grávidas, tendo como pico os meses de fevereiro e março. O estado do Rio de Janeiro foi o mais atingido, com 66.925 pessoas infectadas, seguido pela Bahia e o Mato Grosso, com 51.033 e 22.090 casos, respectivamente.

A dengue, o chikungunya e o zika vírus são doenças transmitidas pela picada do mosquito Aedes aegypti. Para saber mais como combater o mosquito e se prevenir, ouça os podcasts do ONB.