Agência americana proíbe pesticidas que fazem mal as abelhas

(Foto: Pixabay)

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) cancelou o registro de 12 produtos pesticidas com compostos neonicotinóides, uma classe de inseticidas derivados da nicotina, para proteger as abelhas.

A decisão foi tomada após cinco anos de discussão em que apicultores e ambientalistas pressionaram a agência para proibir esses produtos químicos.

No final de 2018, a Bayer, Syngenta e Valent – principais fabricantes de agrotóxicos – concordaram em permitir que a EPA retirasse os produtos do mercado.

O acordo ainda prevê que a agência ambiental analise os impactos de toda a classe neônica sobre espécies ameaçadas de extinção.

Aliadas-chave na luta contra a fome

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) pediu às autoridades de todos os países do mundo para “redobrar os esforços” para proteger as abelhas.

O grande declínio mundial dessas populações “é uma ameaça para uma grande variedade de plantas”, já que mais de 75% das culturas que alimentam o mundo dependem da polinização desses insetos, como o café e as maçãs.

** Com informações do The Washington Post e da France Presse