Agrotóxico para soja é responsável por 80% da morte de abelhas no RS

(Foto: Pixabay)

A ingestão ou contato com o inseticida fipronil, agrotóxico usado para proteger sementes de soja contra insetos, foi responsável por cerca de 80% dos casos de mortandade de abelhas no Rio Grande do Sul em 2018.

O estudo, desenvolvido pelo engenheiro agrônomo Aroni Sattler em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), examinou 30 episódios registrados no estado.

O novo resultado é similar ao levantamento do projeto Colmeia Vida, que analisou 200 episódios e em 60 casos, 70% apresentaram este ingrediente ativo, entre 2014 e 2017.

Especialistas no setor afirmam que o uso incorreto de agrotóxicos impulsiona a morte das abelhas.

Segundo o coordenador da Câmara Setorial de Apicultura do estado, Aldo Machado, os agrotóxicos estão sendo usados na floração da cultura, quando as abelhas visitam a plantação e coletam o néctar contaminado e retornam para o apiário.

Nos últimos meses foram registrados casos de extermínio de colmeias nos municípios gaúchos de Alegrete, Bagé, Caçapava do Sul, Cruz Alta, Frederico Westphalen, Santana do Livramento, Santiago e São José das Missões. Em Santiago, apicultores estimam ter perdido 200 colmeias.

** Com informações do Canal Rural