Agrotóxicos são detectados em água de 22 cidades de Santa Catarina

(Foto: Raphael Biscaldi/ Unsplash)

Análise encomendada pelo Ministério Público de Santa Catarina revelou a presença de 17 tipos de agrotóxicos na água de abastecimento público em 22 municípios, incluindo Joinville e Balneário Camboriú.

As amostras foram coletadas entre março e novembro de 2018, período de safras e cultivos. Das 17 substâncias detectadas, sete são proibidas na União Europeia por causarem danos a saúde: atrazina, simazina, bromopropilato, metalacloro, permetrina, propargite, propiconazol.

“Essa contaminação repercute em riscos à saúde dos consumidores, uma vez que possivelmente há outros agrotóxicos e poluentes presentes interagindo com os poluentes aferidos, e que não foram abordados nas análises, com efeitos imprevisíveis sobre a saúde da população exposta”, alerta Sonia Corina Hess, Doutora em Engenharia Química.

Cerca de 13 cidades apresentaram mais de um princípio ativo simultaneamente. Rio do Sul apresentou a maior variedade de agrotóxicos na água, com sete substâncias diferentes. Seguido por Itapema (6); Mafra e Itaiópolis, com cinco substâncias respectivamente; Rio Negrinho (4), Coronel Freitas (3); Ibirama, Ituporanga, Porto União, Joinville, Schroeder, Orleans e Gravatal, com 2 substâncias.

Entre 2007 e 2014, 25 mil pessoas foram intoxicadas por essas substâncias no país. Cerca de 3.125 pessoas são intoxicadas por agrotóxicos por ano e mais de mil morreram, sem considerar a subnotificação.