Água potável pode ter agrotóxicos

(Foto: Raphael Biscaldi/ Unsplash)

Reportagem do jornal El País descobriu que, raramente, o governo testa os sistemas de abastecimento de água potável para detectar a presença de agrotóxicos.

Por lei, os fornecedores de água, sejam eles, empresas municipais, estatais ou privadas, devem analisar se há a presença de 27 tipos de agrotóxicos na água, a cada seis meses, e relatar os resultados ao governo federal.

Por meio da lei de acesso à informação, a reportagem obteve os resultados dos testes nacionais de resíduos de agrotóxicos na água potável entre 2014 a 2017.  A cada ano, cerca de 67% dos municípios brasileiros não envia nenhuma informação ao governo federal e os que enviam, estão com a maioria dos testes incompleta. Nos resultados apresentados em 2014, apenas 18% dos testes estavam completos.

Os dados mostram que o governo não sabe o quanto a água potável está contaminada por agrotóxicos e que o sistema de monitoramento de água está inadequado para detectar as ameaças.

Atualmente, o Brasil é o país com maior consumo de agrotóxicos e essas substâncias podem escoar com a água da chuva pela superfície a atingir aquíferos, que são muitas vezes fonte de água potável.

Clique aqui para ler a reportagem na íntegra