Anvisa aprova novo marco regulatório dos agrotóxicos

(Foto: Pixabay)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta terça-feira (23), um novo marco regulatório para a avaliação e a classificação toxicológica de agrotóxicos.

Agora, as análises serão baseadas no Sistema de Classificação Globalmente Unificado (GHS, sigla em inglês), um padrão internacional mais restrito e similar ao adotado por países da União Europeia e da Ásia.

O novo marco é resultado das consultas públicas feitas pela Anvisa sobre o tema entre 2011 e 2018. Segundo o diretor da agência, Renato Porto, o documento aumentará a transparência sobre os agrotóxicos e os perigos do uso.

Com a medida, a classificação toxicológica passa de quatro para cinco categorias: extremamente tóxico, altamente tóxico, moderadamente tóxico, pouco tóxico e improvável de causar dano agudo, e a categoria “não classificado”, para produtos de baixíssimo potencial de dano, como os de origem biológica.

(Foto: Anvisa)

Recorde de liberação

O Ministério da Agricultura aprovou mais 51 agrotóxicos, totalizando 262 produtos autorizados este ano, o maior índice registrado para o período.

Dos 51 pesticidas, sete são formulados e poderão ser comprados em lojas de insumos agrícolas, 44 são produtos “equivalentes”, sendo 18 para uso industrial e outros 26 formulados.

O sulfoxaflor, princípio ativo usado para controlar insetos que atacam frutas e grãos, está presente em seis agrotóxicos. Estudos apontam que o inseticida pode reduzir enxames de abelhas.

Atualmente, 2.300 agrotóxicos estão registrados no Brasil. Segundo a Anvisa, 85% dos produtos já possuem dados para reclassificação.

O novo marco regulatório dos agrotóxicos pode ser lido na íntegra aqui.