Conheça os riscos de nove agrotóxicos proibidos pela Anvisa

(Foto: Pixabay)

Para apontar o impacto do PL do Veneno, que tenta flexibilizar a Lei dos Agrotóxicos, a  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou uma lista com os nomes e  efeitos de alguns produtos que podem começar a ser usados, caso a proposta seja sancionada.

O projeto, de autoria do ministro da agricultura, Blairo Maggi, estabelece que só deverão ser proibidos os agrotóxicos avaliados com risco “inaceitável”.

Segundo o deputado e relator do PL, Luiz Nishimori, o critério será determinado pela Anvisa e pelo Ibama e deverá seguir outros países em estudos laboratoriais. Entretanto, para desburocratizar e acelerar o registro, a nova legislação concentra a aprovação no Ministério da Agricultura e prevê a liberação de registros temporários, sem a conclusão da análise dos outros órgãos reguladores.

A Anvisa é uma das opositoras ao PL. E considera que uma substância tenha um “risco inaceitável”, caso não seja possível estabelecer qual a dose segura para o consumo. Por isso, o órgão teme que os fornecedores de substâncias já proibidas, consigam a aprovação para uso novamente, como é o caso dos  Endossulfam, Cihexatina, Tricloform,  Monocrotofós, Pentaclorofenol, Lindano, Metamidofós, Parationa Metílica e Procloraz já vetadas pela agência. Apenas a Cihexatina, teve uma dose segura para o uso estipulada pelo órgão, mesmo sendo uma substância inaceitável em outros seis países.

A Anvisa explicou os riscos das nove substâncias citadas acima:

Agrotóxicos proibidos pela Anvisa (2009-2015)

Substância Uso Análise Há avaliação de risco ou dose segura?
1) Endossulfam Cacau, algodão, cana de açúcar, café, soja, etc. É tóxica ao sistema neurológico, ao sistema imune, à reprodução e desregula hormônios Não
2) Cihexatina Maçã, morango, pêssego, café e berinjela Toxicidade aguda. Pode desencadear problemas de visão e é tóxica à reprodução e ao desenvolvimento Sim, mas produto foi considerado inaceitável em 6 países
3) Tricloform Algodão, feijão, abacaxi, alface, abóbora, amendoim, arroz, banana, brócolis, couve-flor, figo, goiaba, maçã, manga melancia, melão, tomate, trigo, pepino, pimentão, repolho, etc. Tóxica para genes, para o sistema neurológico e para o sistema imune. Danos neurológicos em humanos maiores do que demonstrados em animais Não
4) Monocrotofós Amendoim, batata, feijão, etc. Ausência de dossiê toxicológico que suporte o registro do produto Não
5) Pentaclorofenol Tratamento de madeiras recém-cortadas para combater fungos que causam manchas Tóxica ao fígado, aos rins, desregula hormônios e fica muito tempo no meio ambiente Não
6) Lindano Usado na preservação de madeiras compensadas em serradas Apresenta potencial cancerígeno, é tóxica ao fígado, aos rins e fica muito tempo no meio ambiente Não
7) Metamidofós Algodão, amendoim, batata, feijão, soja, tomate para uso industrial e trigo Tóxica ao sistema imune, ao sistema neurológico, à reprodução e desregula hormônios Não
8) ParationaMetílica Algodão, alho, arroz, batata, cebola, feijão, milho, soja e trigo Tóxica ao sistema imune, ao sistema neurológico, desregula hormônios, pode levar a mutações e é tóxica à reprodução. Danos neurológicos em humanos maiores do que os demonstrados em animais Não
9) Procloraz Tomate, cebola, cenoura, melancia, etc. Provoca distúrbios hormonais e danos ao aparelho reprodutor Não

Fonte: Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)