Embrapa começa a monitorar resíduos de agrotóxicos no Mato Grosso do Sul

(Foto: Christiane Comas/ Embrapa)

A Embrapa inaugurou o Laboratório de Análises Ambientais, em Dourados (MS), para monitorar a qualidade da água das bacias hidrográficas em vários rios do estado e da água potável de alguns municípios.

O laboratório, que custou mais de R$3 milhões, poderá identificar a presença de 55 tipos diferentes de agrotóxicos.

Para o Diretor-presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, o Brasil não deixará de usar agrotóxicos e defendeu que produtores aprendam a utilizar de maneira racional para evitar a contaminação do meio ambiente.

“A Embrapa pretende utilizar as informações coletadas para fins científicos e de desenvolvimento de procedimentos e tecnologias sustentáveis que contribuam com a redução de possíveis impactos ambientais, caso a presença de agrotóxico venha a ser confirmada”, explica o pesquisador Rômulo Penna Scorza.

Em abril, uma reportagem da Agência A Pública revelou um coquetel com 27 agrotóxicos foi encontrado na água de uma em cada quatro cidades brasileiras, cerca de 1.396 municípios, entre 2014 e 2017, após a análise de dados do Ministério da Saúde.

Apenas no primeiro semestre, o governo aprovou o registro de 239 agrotóxicos.