França proíbe venda de agrotóxicos com glifosato na composição

avião pulverizando a plantação
(Foto: Pixabay)

Trinta e seis dos 69 agrotóxicos à base de glifosato comercializados na França serão retirados das prateleiras e proibidos de serem usados, anunciou a Agência Francesa de Segurança Sanitária (Anses).

Segundo a agência, os produtos serão banidos “a partir do final de 2020 devido à insuficiência ou falta de dados científicos para descartar qualquer risco genotóxico” (suscetível de danificar o DNA ou causar mutações).

Em 2017, a União Europeia estendeu por cinco anos a permissão para o glifosato e a Anses começou a revisar as autorizações desses produtos, buscando opções alternativas.

Com os resultados obtidos, a Agência antecipou e “notificou a retirada das autorizações” dos 36 produtos. Além de ter rejeitado os pedidos de autorização para quatro dos 11 novos produtos com o glifosato. Em agosto, 20 prefeitos franceses decidiram banir o uso do agrotóxico das lavouras de seus municípios. 

O glifosato é um dos agrotóxicos mais usados no mundo e foi classificado como “provável cancerígeno” pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O ingrediente é comercializado por várias marcas, mas é mais conhecido pelo Roundup, fabricado pela Monsanto. A empresa foi condenada e enfrenta diversos processos nos Estados Unidos, após trabalhadores terem desenvolvido câncer após a exposição ao glifosato.

** Com informações da France Presse