Governo federal aprova mais 63 agrotóxicos

(Foto: Pixabay)

O Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária liberou o registro de 63 agrotóxicos. Com a autorização, chega a 325 os produtos liberados em 2019.

Dos 63 defensivos, 56 são genéricos, ou seja, com base em ingredientes que já estão presentes em outros produtos no mercado. Sete são novos defensivos, divididos em produtos técnicos, que poderão ser usados pela indústria, e produtos formulados (pronto para uso na lavoura) à base do ingrediente ativo Fluopriram.

Outro agrotóxico novo é o herbicida florpirauxifen-benzil, que pode ser utilizado para o controle de plantas daninhas na cultura do arroz. Segundo o Ministério da Agricultura (MAPA), o produto é uma alternativa mais eficiente e menos tóxica do que os disponíveis hoje no mercado.

O MAPA afirma que a aprovação tem o objetivo de substituir os produtos antigos por novas moléculas menos tóxicas e ambientalmente corretas.

Parlamento

O uso de agrotóxicos foi tema de um debate na Câmara dos Deputados e divide opiniões entre os parlamentares. Atualmente, está em tramitação propostas, tanto para simplificar a liberação, quanto para restringir a localização de uso e aumentar o rigor da autorização.

Para o presidente da comissão geral, deputado Luiz Nishimori, o uso de agroquímicos e de defensivos na produção agrícola do país precisa passar por extenso debate e amadurecimento.

O especialista em agroecologia Rogerio Dias destaca que o nome utilizado atualmente pela lei é agrotóxico por pressão social sobre parlamentares constituintes. “Para que houvesse mais controle sobre o uso de substâncias perigosas”, disse.

** Com informações da Reuters e da Agência Câmara