Macron defende transição agro com menos agrotóxico

(Foto: Divulgação/ND)

O presidente da França, Emmanuel Macron, reconheceu que o glifosato, uma das principais substâncias usadas em agrotóxicos, é tóxico, mas que não será possível substitui-lo em alguns setores pelos próximos três anos.

Macron tinha dito anteriormente que o glifosato seria proibido na França em 2020, indo contra a decisão da União Europeia de estender o uso em cinco anos.

Ainda durante seu discurso no Salão de Agricultura de Paris, o francês garantiu que os agricultores terão outras alternativas ao produto e afirmou que o vinhedo francês pode ser o primeiro do mundo sem o uso de glifosato.

Ele estima que em 80% dos casos, a transição será feita nos próximos três anos.

Macron ainda defendeu a inclusão de um comprometimento em preservar o planeta e a biodiversidade na futura Política Agrícola Comum (PAC) que começou a ser desenvolvida pela União Europeia.

** Com informações do Globo Rural