Presença de agrotóxicos na água será monitorada em Mato Grosso do Sul

(Foto: Pixabay)

A Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES) e mais 18 municípios do estado terão que instalar um mecanismo de coleta e análise quinzenal de água a pedido do Ministério Público Federal (MPF). 

Na recomendação, o MPF destaca que os agrotóxicos representam uma ameaça grave a água potável, principalmente, nas áreas agrícolas, e ao meio ambiente. 

“Ressalte-se que o uso excessivo e incorreto de agrotóxicos contamina fontes de água e solos próximos, o que causa perda de diversidade biológica, destrói populações de insetos benéficos que atuam como inimigos naturais das pragas e reduzem o valor nutricional dos alimentos”, diz o texto.

A solicitação do MPF acontece após um estudo da Agência A Pública revelar a presença de 27 tipos de agrotóxicos na água distribuída para a população de 65 dos 79 municípios do estado. 

Mas a implementação da medida de monitoramento engloba apenas os municípios da região de Dourados, localizada a 235 quilômetros da capital Campo Grande.

Integram a lista os municípios: Anaurilândia, Angélica, Bataiporã, Caarapó, Deodápolis, Douradina, Dourados, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Itaporã, Ivinhema, Maracaju, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Rio Brilhante, Taquarussu e Vicentina. 

A omissão na adoção das ações recomendadas pode implicar em outras medidas administrativas e ações judiciais cabíveis.

** Com informações do Campo Grande News