Roundup pode atacar o intestino, diz processo judicial

(Foto: REUTERS/ Benoit Tessier/ File Photo)

Após enfrentar um processo sobre câncer e perder, a Monsanto está sendo processada pelos impactos do Roundup, seu principal agrotóxico, nas bactérias intestinais e na saúde dos seres humanos.

O processo aberto em Kansas City, no Missouri, afirma que o glifosato ataca uma enzima no intestino de humanos e alguns animais benéfica a saúde, enquanto no rótulo dos produtos está escrito que o agente tem como alvo uma enzima que não é encontrada em pessoas.

“A Monsanto tem enganado os consumidores sobre os riscos do glifosato há décadas. Apesar dos esforços da empresa para suprimir e distorcer a pesquisa sobre o glifosato, a ciência está em ação”, disse o advogado dos demandantes, Robert F. Kennedy Jr., à Bloomberg.

Os produtos Roundup em questão são distribuídos pela Scotts Miracle-Gro , que também é réu no processo.

A empresa também enfrenta dois outros processos semelhante em Wisconsin e Washington, mas não são ações de classe.

Daniel Childs, porta-voz da Bayer dona da Monsanto, disse que a ação não tem mérito e que a empresa “aguarda com expectativa a defesa do mérito”.

Segundo o Euromonitor, as vendas do Roundup na categoria de jardinagem totalizaram US $ 295 milhões em 2017, nos Estados Unidos.

** Com informações da Bloomberg