Universidade cria técnica que identifica agrotóxicos em frutas

(Foto: Pixabay)

Pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG), em parceria com a Louisiana State University (EUA), desenvolveram uma técnica para identificar e mensurar a quantidade de agrotóxicos em frutas e legumes.

A técnica também poderá ser utilizada para checar se os produtos exportados seguem os padrões internacionais e permite evitar as discrepâncias entre a quantidade sugerida na embalagem e a quantidade necessária para o produto fazer efeito.

O estudo comprovou que o fungicida imazalil, um dos mais utilizados em hortifruti, penetra até 6 milímetros na maçã norte-americana em apenas sete dias e pode provocar problemas de saúde na população, já que os resquícios não saem ao lavar a fruta.

Apesar de estar registrado para uso em pós-colheita no Brasil, o fungicida não é usado na produção de maçãs nacionais, segundo a Associação Brasileira dos Produtores de Maçã (ABPM).

** Com informações da Agência Brasil