Uso de agrotóxico gera prejuízo de quase R$100 milhões no RS

(Foto: FAO)

Levantamento do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) projeta um prejuízo de R$94,02 milhões e uma queda de 32% na colheita atual da uva causadas pelo agrotóxico 2,4-D, aplicado no pré-plantio de soja no Rio Grande do Sul.

O estudo analisa os dados de 62 vitivinicultores de diferentes regiões do estado.

Cerca de 241 hectares com uvas viníferas e híbridas americanas foram impactadas, causando um prejuízo de 1 milhão de toneladas a menos do que em outras safras.

Outra pesquisa, feita pela Associação Gaúcha de Produtores de Maçã (Agapomi), apurou perda de 48% da produção em quatro municípios dos Campos de Cima da Serra.

Como já falamos aqui no ONB, produtores gaúchos pediram ao Ministério Público Estadual (MPE-RS) para proibir o uso do agrotóxico 2,4-D no estado.

Levado pelo ar, o 2,4-D quando entra em contato com outras culturas, atrofia o sistema hormonal.

O MPE abriu um inquérito civil para “investigar a possibilidade de contaminação ambiental causada pelo herbicida 2,4-D no Rio Grande do Sul”.

Os autos indicam que a Promotoria do Meio Ambiente de Porto Alegre se inclina favoravelmente à suspensão da venda e do uso do agrotóxico.

** Com informações do Zero Hora