Brasileiro está consumindo mais frutas e verduras, aponta pesquisa

vegetais expostos em recipientes
(Foto: Dan Gold/ Unsplash)

O brasileiro leva em consideração o sabor e a estética na hora de comprar frutas, verduras e legumes, revela pesquisa realizada pela Produce Marketing Association (PMA), entidade que representa o setor de horticultura e fruticultura.

A pesquisa analisou os estímulos e as barreiras para o consumo de hortifrútis e o que as empresas e supermercados podem fazer para aumentar o consumo desses alimentos.

O levantamento revelou que os brasileiros veem as frutas e verduras como essenciais na sua alimentação e para o seu bem estar. Enquanto as verduras são escolhidas com base no sabor e são mais consumidas nas refeições completas, as frutas estão mais presentes na rotina alimentar por ser versátil e fácil de transportar.

O suco é a forma da fruta mais consumida. Os brasileiros recorrem ao suco como um lanche independente ou uma bebida para acompanhar uma refeição maior e substituir o refrigerante.

Por outro lado, a percepção de que o alimento estraga rápido, tem um gosto ruim, custa caro e precisa gastar muito tempo para limpar, cortar e preparar desencoraja a busca frequente por hortifrútis. Reduzir o desperdício e os resíduos também foram apontados com uma preocupação pelo consumidor.

Refeições

De acordo com a pesquisa, o brasileiro está substituindo os biscoitos e a ida ao fast food por porções de frutas no café da manhã, verduras e legumes no almoço e locais que sirvam comida similar a caseira, como os restaurantes por quilo.

As refeições devem ser mais nutritivas, equilibradas e com opções saudáveis que oferecem mais energia e praticidade. 

No período da tarde e da noite, a alimentação deixa de ser saudável. O consumidor opta por um lanche da tarde rápido, crocante, leve e fácil de manusear, mas que não é saudável. O jantar em casa é fácil de preparar, rápido para consumir e não é saudável do ponto de vista nutricional.

Para a PMA, há uma grande oportunidade para expandir o consumo de FLV no país, através do desenvolvimento de produtos inovadores e da comunicação. 

A entidade recomenda o posicionamento de mais informações nos pontos de venda, estimular o prazer da alimentação saudável, ter embalagens com alimentos pré-cortados e a oferta de sucos pré-prontos