Comeu… dormiu… perdeu o sono!

(Foto: Elizabeth Lies/ Unsplash)

Já falamos aqui da importância de uma boa noite de sono. Como se costuma dizer, em brincadeira, o dia seguinte agradece!

Mas, além de não ter tempo para comer na hora do jantar, sair direto do trabalho para a faculdade ou algo que impeça uma refeição caseira, tranquila, na hora certa, existe a qualidade do que se ingere.

Já comentamos sobre excitantes que dificultam a vinda do sono, como uso de aparelhos e jogos eletrônicos, programas de TV que mexam com o seu cérebro, ele haverá de ficar em alerta e isso, com certeza, vai atrapalhar o seu descanso necessário.

Hoje, nossa conversa é sobre o que NÃO se deve ingerir antes de dormir. A princípio, é bom saber que uma dieta com altos níveis de glicose, deixa o cérebro bem “aceso” e impede o corpo de relaxar.

O álcool que, para muitos, é um relaxante natural, torna-se o principal inimigo, pois, passado o efeito inicial de leveza, alívio, vem a agitação direta no cérebro!

O inofensivo tomate, que adorna deliciosas pizzas ou mesmo o molho feito com ele, que torna o macarrão da ‘mamma’ muito mais saboroso, é um inimigo de alta periculosidade. Ele, enquanto fruta, dificulta a digestão, causa refluxo ácido, que, por sua vez, volta ao esôfago e dá uma sensação incomoda de queimação. Lembre-se, sempre, de que comer tomate antes de dormir, é uma péssima ideia e pode contribuir para sua insônia ou trazer aquele indesejado desconforto estomacal.

Alimentos apimentados seguem a linha do tomate, pois têm o mesmo poder de causar refluxo, além de irritar a mucosa estomacal e trazer aquele desconforto digestivo antes de pegar no sono.

Aos que costumam virar o saleiro sobre a comida e aos que acham que conseguiram evitar esse derrame salínico, trocando-o por glutamato monossódico (aquele de cristais brancos), um alerta: além de melhorar o sabor dos alimentos, ele faz muito mal à saúde e estimula o cérebro, causando insônia com o passar do tempo.

Na outra ponta, o açúcar, faz o mesmo papel do álcool, seu parente próximo. No início, vem aquela sensação de prazer, mas, quando você pensa que vai se atirar aos braços de Morfeu, ele causa uma desconfortável excitação que, mesmo com sono, o impede de dormir.

Como é que pode, o sujeito que quer ficar acordado até mais tarde, muitas vezes próximo a um vestibular, tomar café e chocolate e fazer o mesmo antes de ir pra cama, pensando num sono reparador?

O chocolate tem menos cafeína, mas, costuma deixar o nosso cérebro em estado de alerta. Como a maioria dos tabletes que consumimos não é pura, acrescentem-se os malefícios do açúcar. E, quanto a café, nem é preciso dizer, não é mesmo?

Por fim, aqueles chamados carboidratos glicêmicos, que se transformam em açúcar em nosso organismo, também atrapalham o nosso sono.

Abóbora, batata e outros vegetais de amido, pão, macarrão, pizza, etc. são tão desaconselhados como o próprio açúcar.

O ideal é consumir pratos leves, como chuchu, cenoura, folhagens, além de grãos integrais e proteínas e gorduras saudáveis como as de coco.