Consumo de alimentos ultraprocessados pode causar obesidade

(Foto: World Obesity Federation)

A alimentação que privilegia o consumo de alimentos ultraprocessados está diretamente relacionada ao crescimento e a prevalência da obesidade no mundo.

A relação foi comprovada pelos cientistas. Pesquisadores da Universidade de George Washington (GW), nos Estados Unidos, descobriram que a crescente epidemia de obesidade no país norte-americano está correlacionada ao aumento no consumo de alimentos ultraprocessados.

Os alimentos mais associados ao ganho de peso incluem batata frita, bebidas açucaradas, doces e sobremesas, grãos refinados, carnes vermelhas e carnes processadas. Outro problema é a ingestão insuficiente de fibras e o aumento de aditivos alimentares. 

No mundo, estima-se que há mais de um bilhão de adultos acima do peso, sendo que 500 milhões são considerados obesos. No Brasil, a obesidade atinge uma em cada cinco pessoas, cerca de 19,8% da população, o maior índice registrado entre 2006 e 2018, segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

No mesmo período, a porcentagem de pessoas acima do peso aumentou para 55,7%. Entre as crianças, o número na faixa de sobrepeso e obesidade é de cerca de 15%.

Consequências

Um relatório divulgado pela World Obesity Federation (WOF) revelou que os custos anuais com os problemas de saúde ocasionados pelo excesso de peso vão subir de US$ 16,7 bilhões em 2014 para US$ 34 bilhões em 2025.

A obesidade está associada a diversas doenças, como: infarto, Acidente Vascular Cerebral (AVC), diabetes, dificuldades respiratórias, entre outras.

Segundo o Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, dos 400 mil casos de câncer diagnosticados por no Brasil, 15 mil estão associados ao excesso de peso e a obesidade.

Outros estudos recentes também apontaram a doença como uma forma de envelhecimento precoce, por estar associada a fatores de risco vistos em idosos, como genoma comprometido, sistema imunológico enfraquecido, declínio na cognição e maior chance de desenvolver diabetes tipo 2.

Combate 

Para alertar sobre a importância de prevenir e combater a doença,  foi criado o Dia Mundial da Obesidade. A WOF mudou a data, que acontecia até o ano passado em datas diferentes pelo mundo, para o dia 04 de março.

Para o pesquisador da GW e autor do estudo, Leigh A. Frame, a melhor maneira de combater a obesidade e as doenças relacionadas é incluir usar os alimentos como remédios. A obesidade é fortemente influenciada pelo estilo de vida e de alimentação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que a população consuma, pelo menos, cinco porções diárias de frutas e hortaliças cinco vezes por semana.