Cresce o consumo de produtos sem glúten no Brasil

(Foto: Freepik)

Mais de 70% do brasileiros aderiram a uma dieta sem glúten, proteína presente em alguns cereais, por necessidade, revela o estudo inédito Consumer Insights feito pela multinacional Schär.

A pesquisa foi realizada com cerca de 2 mil clientes da base de dados da marca e é a primeira no mercado nacional realizada com consumidores brasileiros.

O principal fator para adoção da dieta sem glúten por 40% dos entrevistados é a doença celíaca, uma reação imunológica crônica e autoimune à ingestão da proteína e que afeta o intestino.

De acordo com a Associação de Celíacos do Brasil (Acelbra), estima-se que há um portador da doença para cada 600 habitantes no país, número que pode ser bem maior, já que as pesquisas levaram em consideração apenas os já diagnosticados.

Em relação a outras restrições alimentares, 62,3% dos entrevistados apontaram que a dieta sem lactose é mais comum. Pelo menos, 30% dos celíacos também apresentam intolerância à lactose. Cerca de 88% passaram a seguir uma dieta restrita a glúten após orientação de um profissional de saúde.

“Esses dados são muito importantes para que o varejo entenda que as categorias andam juntas, mesmo que a grande parte do consumidor ou é celíaca ou intolerante ao glúten”, explica Fernando Menezes, diretor geral da Schär no Brasil.

Outros motivos apresentados para a retirada do glúten da dieta é sensibilidade (33%) e por sentir que a proteína faz mal (14%). Cerca de 10% aderiram a esses alimentos para acompanhar outros integrantes da família que adotam a dieta, deste valor, 45% começaram nos últimos dois anos. Isso significa que o número de diagnósticos está duplicando a cada dois anos.

O levantamento aponta que 75% dos compradores são mulheres com idade entre 25 a 54 anos. Segundo estimativas mundiais, 70% das pessoas diagnosticadas atualmente são do sexo feminino, o equivalente a duas mulheres a cada homem.

O estudo também confirma as conclusões da pesquisa divulgada pela APAS na semana passada, de que consumidores gostariam de ter gôndolas exclusivas para alimentos saudáveis nos supermercados, como orgânicos e produtos sem glúten.

A solicitação foi mencionada por 93,6% dos consumidores, segundo a Schär. Os supermercados (86%) e mercearias especializadas em alimentação saudável ainda são os canais de compra preferido do shopper. Porém, o canal online tem apresentado crescimento na preferência do consumidor; representando 23% das compras frequentes. ,

Durante a APAS, a Schär lançou bolos caseiros prontos em dois sabores: chocolate e laranja, como resposta à necessidade apontada pelos consumidores na pesquisa, e que deve chegar aos mercados neste mês.