Embrapa desenvolve leite de castanha-de-caju com probióticos

(Foto: Embrapa/ Ana Elisa Sidrim)

A Embrapa criou um leite vegetal a partir da amêndoa de castanha-de-caju e com adição de probióticos, microorganismos vivos cuja ingestão traz benefícios à saúde. 

“Durante o processo de obtenção da bebida à base de castanha-de-caju, tivemos a ideia de incorporá-las para valorizar ainda mais o produto”, conta Laura Bruno, pesquisadora da Embrapa Agroindústria Tropical.

Outra diferença do leite é a trituração da amêndoa com água e açúcar, para evitar o desperdício das amêndoas. Durante o processamento, o índice de quebra das amêndoas de castanha-de-caju chega a 40%, o que tem valor quatro vezes inferior em comparação às amêndoas inteiras. Então a pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos, Janice Lima, desenvolveu o processo de produção da bebida para agregar valor a esses pedaços desvalorizados.

Laura afirma que a bebida de castanha é um boa maneira de disponibilizar probióticos para os consumidores que não podem ou optaram por não consumir produtos lácteos, como os veganos.

“Há uma tradição, pois os lácteos foram os primeiros produtos estudados para esse fim. E isso é até natural, já que são bactérias do leite reinoculadas nas bebidas processadas”, explica.

A pesquisadora pondera que o crescimento do mercado para produtos vegetarianos e veganos, bem como da demanda por produtos não lácteos, fez com que a ciência se voltasse para pesquisa de produtos alternativos.

Os testes do leite vegetal foram realizados com sucesso em escala-piloto. Agora, a Embrapa espera por parceiros interessados em disponibilizar o produto em grande escala no mercado