Impacto da mudança climática na gastronomia dos países

A gastronomia brasileira, assim como a sua população e o meio ambiente, é diversificada e rica em ingredientes. Mas já imaginou como seriam os pratos típicos sem o seu ingrediente principal? O que seria o pão de queijo sem o queijo, por exemplo.

Por causa do impacto da mudança climática na alimentação, muitos países estão adaptando suas receitas principais para sobreviver. Esta adequação é o tema abordado no livro “Adaptive Farms, Resilient Tables” (“Fazendas Adaptáveis, Refeições Resilientes”, em português), lançado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Com 128 páginas, a publicação apresenta histórias de como pessoas e comunidades agiram para fortalecer a sua segurança alimentar, ao notarem que suas fontes tradicionais de alimentação começaram a mudar. O livro também aborda receitas tradicionais de seis países: Cabo Verde, Camboja, Haiti, Mali, Níger e Sudão.

“Enfrentando a ameaça de insegurança alimentar, essas comunidades puderam adaptar suas receitas tradicionais e empregar métodos culinários inovadores. Foi uma história verdadeiramente inspiradora e algo que sentimos que deveria ser registrado, por isso escolhemos compartilhá-la por meio do livro de receitas”, disse Jennifer Baumwoll, coordenadora global do projeto do PNUD.

Segundo o Programa das Nações Unidas, a agricultura é fonte crítica de subsistência de mais de 40% das pessoas no mundo e 500 milhões de agricultores são os responsáveis pela produção de mais de 80% dos alimentos consumidos em países em desenvolvimento.

O livro “Adaptive Farms, Resilient Tables” está disponível na íntegra (em inglês), em http://www.curiospice.com/spices/cookbook-adaptive-farms-resilient-tables

** Com informações do PNUD