Mercado de bebidas nutricionais tem grande potencial de crescimento no Brasil

bebidas nutricionais
(Foto: Freepik)

Os brasileiros estão dispostos a incluir as bebidas nutricionais na sua dieta alimentar pelos seus benefícios a saúde, mesmo que não tenham muito conhecimento sobre as propriedades nutricionais de cada elemento, constatou uma pesquisa encomendada pela Food & Beverages da DuPoint Nutrition & Biosciences.

A pesquisa inédita no Brasil buscou entender as motivações, razões de compra e o que os consumidores pensam a respeito das bebidas nutricionais. As pesquisas qualitativas foram realizadas em parceria com a agência Kyra em fevereiro deste ano com dois grupos: mães com filhos entre 3 e 14 anos e adultos com mais de 50 anos.

Ambos os grupos enxergam as bebidas nutricionais de forma positiva no que se refere à saudabilidade. Para as mães, as principais motivações para consumir estas bebidas são suprir as deficiências na alimentação, com vitaminas, proteínas e nutrientes, a partir de um produto nutritivo, com sabor agradável e saciar a fome de forma saudável. Homens e mulheres com mais de 50 anos optam pelo consumo da bebida tanto por indicação médica quanto por conta própria, como substituição leve para refeições e para dar mais energia e disposição.

No grupo das mães, um dos grandes desafios para esse público é colocar produtos mais saudáveis nos lanches da escola, mas “a falta de opções faz com que muitas mães acabem cedendo a produtos não adequados nutricionalmente.”, explica Gisele Vasconcelos Barros, líder regional de marketing para bebidas na DuPont Nutrition & Biosciences.

Já homens e mulheres com 50 anos ou mais têm como fator primordial da alimentação a disciplina, por isso, procuram comer no horário correto e a cada três horas, segundo a pesquisa. Eles também se preocupam bastante com os excessos, limitando o consumo de doces, frituras e gordura.

Para Barros, os resultados mostram o potencial de crescimento desse mercado. Uma pesquisa da Euromonitor estima que o mercado de bebidas nutricionais no Brasil terá um crescimento de anual de 7% entre 2020 e 2024.