Expo Foods

Rótulos limpos para produtos naturais e orgânicos em discussão na Expo Foods

De 11 a 14 de julho, em Chicago (USA), profissionais do setor de alimentação e bebidas do mundo inteiro se reúnem na IFT Expo Foods 2015 que vai colocar em pauta a discussão sobre o Rótulo Limpo para produtos dos segmentos orgânicos, naturais e sustentáveis.

Com a demanda em alta, indústria e comércio lançam rótulos com várias informações, certificações e  promoção, com uso de selos de sustentável, local, puro e simples, usadas nas embalagens dos produtos e web sites.

E essa preocupação de não confundir o consumidor e diminuir os selos de identificação sustentável, é uma reivindicação dos varejistas e a necessidade de uma etiqueta de nova geração. A revista  Food Business Notícias conversou com David L. TerMolen, sócio e membro da equipe de indústria de alimentos no escritório de advocacia de Chicago Freeborn & Peters LLP, que explica as questões legais em torno do Rótulo Limpo.

Food Business News: Na sua opinião, quais são os mais seguros desses tipos de declarações para tomar e quais são uma ação de classe na tomada e por quê?   

David TerMolen: A tendência rótulo limpo se tornou mais popular nos últimos anos. É uma maneira agradável para as empresas de alimentos naturais para evitar reclamações enquanto transmite uma mensagem semelhante sobre um produto que está sendo feita com um número limitado de ingredientes reconhecíveis. A tendência também está ligada à demanda dos consumidores por transparência e simplicidade na produção de alimentos. A este respeito, afirma enfatizando a falta de componentes sintéticos ou altamente processados, como sem sabores artificiais, sem adição de açúcar, sem xarope de milho de alta frutose e não MSG – são os mais seguros porque são afirmações definitivas que carecem de ambiguidade.

Assim, as empresas de alimentos devem compreender o seu produto, os seus ingredientes e seu processamento de rotulagem para refletir corretamente o produto às informações do rótulo. Por exemplo, chamar um produto suco “100% puro” ou “simplesmente” suco é arriscado se ele tiver sido reconstituído ou moderadamente processado.

Você acha que os consumidores sequer entendem o que algumas dessas alegações quer dizer?

Mr. TerMolen: Eu não sou um especialista em marketing e é sempre difícil determinar o que um consumidor médio acredita, em oposição aos ativistas de consumo ou advogados. As empresas de alimentos devem se esforçar para utilizar as informações inequívocas de produtos. Quando mais amplas demonstrações são usadas, mais se ajuda a educar os consumidores sobre o que é um produto puro, terra amigável ou local. Não só este vai reduzir os riscos, mas ajuda a gerar ágio, educando os consumidores sobre como a empresa está  trabalhando para produzir um produto melhor.

A entrevista completa está no site.  Saiba mais sobre a ITF Expo Food, aqui.