Produção de transgênicos cresce no Brasil

(Foto: Gaianet)

Enquanto diversos países estão diminuindo o consumo de agrotóxicos nas plantações e a produção de alimentos transgênicos, o Brasil está na contramão da tendência mundial de aumentar a qualidade de vida e a saúde da sua população.

Segundo dados divulgados pelo Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações em Agrobiotecnologia (ISAA), O Brasil cultivou 44,2 milhões de hectares (mi/ha) com cultura transgênica, em 2015, um aumento de 5% em relação ao ano anterior. Além do Brasil, o único país que também apresentou crescimento na produção transgênica foi a Argentina, com 24,5 milhões de hectares.

No ranking mundial, ainda estão Índia (11,6 mi/ha), Canadá (11 mi/ha) e China (3,7 mi/ha). Os Estados Unidos ainda é o maior produtor de transgênicos no mundo (70,9 milhões de hectares), que pela primeira vez, reduziu a sua área de plantio em 2,2 milhões de hectares.

O ISAA estima que foram plantados 179,7 milhões de hectares por 28 países em todo o mundo, e oito dos dez maiores países produtores de culturas transgênicas reduziram a sua área de plantio ou a mantiveram inalterada.

A cultura transgênica foi adotada rapidamente em todo mundo e está em uso no Brasil há 17 anos e, em 2015, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou 14 novas plantas transgênicas – um número recorde de produtos aplicáveis à agricultura – para auxiliar os agricultores a obter um rendimento.

A diretora-executiva do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB), Adriana Brondani, explica que “a competitividade do agronegócio brasileiro é resultado de uma forte sinergia entre as necessidades do campo, adoção da biotecnologia agrícola e critério científico em avaliações de biossegurança”.

O relatório do ISAA ainda afirma que as altas taxas de adoção nos maiores mercados do mundo irão cair, o que fará com que o mercado africano e asiático se expanda.

As safras biotecnológicas são alimentos modificados geneticamente para resistir a pragas ou doenças, tolerar secas ou suportar a pulverização de defensivos agrícolas (agrotóxicos). Entre os alimentos transgênicos estão: a soja, o milho, o algodão e a canola.

** Com informações do IDEC e do DCI.