Bancos de sangue estão com baixo estoque e precisam de doação

doação de sangue
(Foto: Erasmo Salomão/ ASCOM Ministério da Saúde)

As redes de abastecimento de sangue passam por um desabastecimento em larga escala causado pela pandemia de Covid-19. Os bancos de sangue registraram uma queda de 30% no volume no mês de maio. A situação é emergencial para os tipos O positivo e O negativo, e crítica para o tipo A, segundo o Ministério da Saúde.

“Estamos incentivando o doador de sangue a sair de casa para realizar esse ato heroico, porque as cidades e transportes estão mais vazios, tornando o acesso aos pontos de coleta de sangue mais seguro e confortável. A população brasileira é reconhecida por sua postura solidária e certamente dará mais este bom exemplo ao mundo”, destaca Rodolfo Duarte Firmino, coordenador de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde.

A falta de doações tem sido impulsionada pelo medo dos doadores de contrair o Covid-19. De acordo com o ministério, os 32 hemocentros no país, além de aproximadamente 500 serviços de hemoterapia, estão preparados para receber a população.

É importante lembrar que não há um substituto para o sangue e a disponibilidade é essencial em diversas situações e em muitos casos determinante para salvar uma vida.

Quem pode doar

Para ser um doador de sangue, é necessário ter entre 16 e 69 anos, não estar em uso de medicamentos, pesar mais de 50 quilos, ter dormido pelo menos 6 horas na noite anterior à doação, não ter praticado exercícios físicos

É importante evitar alimentos gordurosos nas 4 horas anteriores e o consumo de bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação, não ter feito tatuagem, piercing ou maquiagem definitiva em um período de 12 meses. Os fumantes devem evitar fumar 2 horas antes da doação. É obrigatório apresentar um documento de identidade original com foto recente.

Além disso, é necessário respeitar os intervalos de doações. Mulheres podem doar sangue a cada 90 dias, podendo fazer até três doações por ano e os homens podem fazer até quatro doações por ano, em um intervalo de 60 dias.

Criada em 1984, a Fundação Pró-Sangue é responsável por 32% de todo sangue consumido nas instituições de saúde da rede pública da Região Metropolitana do Estado de São Paulo. Atualmente, são arrecadas cerca de 12 mil bolsas por mês.

Para mais informações sobre o funcionamento dos postos de coleta acesse: www.prosangue.sp.gov.br/doacao/Enderecos.aspx ou ligue para 0800 55 0300.