Brasil ultrapassa 230 casos de coronavírus e estados tomam medidas de isolamento social

Imagem ilustrativa (Foto: Pixabay)

O Ministério da Saúde confirmou 234 casos de Coronavírus no Brasil, 2.064 ainda são analisados e 1.624 casos foram descartados.

São Paulo continua o estado com o maior número de casos confirmados, com 152, o equivalente a 68% de todos os casos no país. Há casos confirmados no Amazonas (1), Rio Grande do Norte (1), em Pernambuco (2), Alagoas (1), Sergipe (1), Bahia (2), Distrito Federal (13), Goiás (3), Minas Gerais (5), Espírito Santo (1), Rio de Janeiro (31), Paraná (6), Santa Catarina (7), Mato Grosso do Sul (2) e Rio Grande do Sul (6).

As secretarias de saúde municipais e estaduais confirmaram outros 65 casos, mas ainda não foram incluídos no boletim oficial. Os casos estão distribuídos no Distrito Federal, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Sergipe.

A Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro confirmou o 25º paciente de Coronavírus e o primeiro do estado em estado “grave” de saúde e o segundo no país, após uma mulher na capital federal.

Segundo o Ministério, os dados das secretarias estaduais e da pasta podem divertir com a mudança no sistema de vigilância após a confirmação de transmissão comunitária.

Novas medidas

O Ministro da Economia, Paulo Guedes anunciou medidas que pretendem injetar R$147,3 bilhões na economia para combater os efeitos do Coronavírus. Deste valor, R$83,4 bilhões são destinados às populações mais vulneráveis.

Para os idosos, a principal medida anunciada pelo Ministério da Economia é a antecipação das duas parcelas do 13º de aposentados e pensionistas. Elas são pagas em abril e maio deste ano, liberando R$ 46 bilhões na economia. Para a população mais pobre, o governo vai liberar cerca de R$ 3 bilhões para o Bolsa Família.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, decretou estado de emergência e saúde pública, nesta segunda-feira (16). Com o decreto, o Estado autoriza ações, como: isolamento, quarentena, exames médicos, testes laboratoriais, coleta de amostras clínicas, vacinação e outras medidas profiláticas, tratamentos médicos específicos, estudo ou investigação epidemiológica, e exumação, necropsia, cremação e manejo de cadáver.

Em São Paulo, o governador João Doria determinou que todos os funcionários públicos estaduais com mais de 60 anos deverão trabalhar de casa, com exceção dos que atuam nas áreas de segurança pública e saúde. Museus, bibliotecas, teatros e centros culturais do estado ficarão fechados por até 30 dias, enquanto os 153 centros de Convivência do Idoso ficarão fechados durante 60 dias.

O prefeito da capital paulista, Bruno Covas, anunciou que vai se mudar para a sede da Prefeitura por tempo indeterminado. O rodízio de veículos na cidade está suspenso por tempo indeterminado a partir desta terça-feira, 17. Os ônibus municipais deverão ser limpos com água sanitária em todas as viagens. O número de leitos de UTI aumentará em 490 unidades em 20 dias. Os servidores públicos com mais de 60 anos e que não trabalham na área de saúde passarão a fazer home office, assim como aqueles que integram grupos de risco. Os demais serão distribuídos em novos horários – divididos entre manhã e tarde – para evitar aglomerações no transporte público.

No Rio de Janeiro, o bondinho do Pão de Açúcar, uma das principais atrações turísticas vai deixar de funcionar por 15 dias, a partir de terça-feira, 17, para evitar a propagação do novo coronavírus.

OMS defende isolamento social

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, recomendou que os países ampliem a realização de testes em pacientes com sintomas do novo coronavírus e fortaleçam ações de isolamento daqueles com suspeita de infecção.

Para a OMS, o importante é adotar medidas de redução da circulação e aglomeração de pessoas para assegurar os exames e o isolamento.

“A forma mais eficaz de salvar vidas é quebrar a cadeia de transmissão. E para fazer isso precisa testar e isolar. Não conseguiremos parar a pandemia se não soubermos quem está infectado. Temos uma simples mensagem: testem, testem, testem. Todos os casos suspeitos. Se eles derem positivo, isolem”, declarou.