Coronavírus avança e Brasil toma medidas preventivas

(Foto: Renata Momoe/ ASCOM MS/ Divulgação)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou que o governo federal elevou o grau de risco para “emergência em saúde pública” de nível 3, devido o avanço do coronavírus.

A medida pretende agilizar a parte burocrática do governo para contratar equipamentos de segurança, como máscaras e luvas para agentes de saúde, e facilitar o repatriamento dos 40 brasileiros que estão na cidade de Wuhan, na China.

Mandetta disse que o governo deve encaminhar uma medida provisória que vai definir as regras e critérios da quarentena.

“Sem o estado de emergência eu não consigo ter medidas de agilidade para lidar com uma situação dessa. O estado de emergência vai servir inclusive para viabilizar essa operação de repatriamento que vai ter custos não previstos”, disse.

Até o momento, o Brasil tem 14 casos suspeitos de coronavírus. Desde o dia 1º, um caso no Ceará e outro no Paraná foram descartados, o Rio de Janeiro registrou um novo caso suspeito e São Paulo descartou um caso e voltou a ter sete suspeitos. Santa Catarina tem dois casos suspeitos e quatro estão em análise no Rio Grande do Sul. Nenhum caso foi confirmado no país.

Emergência global

No último dia 30, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou que o Coronavírus, chamado oficialmente de 2019 n-CoV, é uma emergência de saúde pública de interesse internacional. O órgão também determinou que os países criem uma ação coordenada de combate à doença.

O novo vírus está se espalhando mais rápido, mas matam menos do que os vírus anteriores, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARs-CoV), que causou um surto na China entre 2002 e 2003 e 916 pessoas morreram.