Febre amarela volta a preocupar São Paulo e Minas Gerais

(Foto: Freepik)

Nesta segunda-feira (04), a prefeitura de São Paulo ampliou a vacinação contra a febre amarela para mais 20 postos de saúde nos distritos da Casa Verde, Pirituba, Limão, São Domingos, Vila Guilherme, Vila Maria e Vila Medeiros, na zona norte.

A medida faz parte da terceira etapa de vacinação, que teve início em outubro. Até o dia 1º de dezembro, mais de 1 milhão de pessoas foram vacinadas.

A campanha de vacinação foi intensificada após a descoberta de macacos mortos por febre amarela silvestre em três parques na Zona Norte. Por precaução, 16 parques estão fechados para visitação. É importante ressaltar que os macacos não transmitem a doença para os seres humanos.

Minas Gerais em alerta

A Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais emitiu um alerta no estado devido à circulação da febre amarela na Região Sudeste. A meta é imunizar 95% da população.

Desde dezembro de 2016, 475 casos foram registrados no estado, 136 pessoas morreram. Apesar do número de ocorrências estar estável, desde junho, 97 municípios registraram a morte de macacos.

A doença

A Febre Amarela é uma doença infecciosa transmitida por mosquitos, que pode causar sintomas, como: febre, calafrios, dor de cabeça, dores no corpo, fadiga, náuseas, vômitos, insuficiência hepática e renal, podendo evoluir para paradas cardíacas e causar o óbito.

A vacina é a principal forma de prevenção da febre amarela. No Brasil, adultos devem tomar uma dose a cada 10 anos. Em crianças, o recomendado é uma dose aos 9 meses e outra dose de reforço aos 4 anos.

A imunização é contra indicada para crianças menores de 6 meses, idosos acima dos 60, gestantes, mulheres que amamentam, crianças de até 6 meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas.

O Ministério da Saúde recomenda que pessoas, que vão viajar para locais em áreas de risco, devem tomar a vacina 10 dias antes da viagem. Por causa dos casos constatados no interior de São Paulo, está recomendada a imunização a partir de seis meses de idade onde houver epizootias.