Mais de 500 cidades têm risco de surto de doenças causadas pelo Aedes

(Foto: Wikimedia Commons)

Dos 5.358 municípios que monitoram de alguma forma o Aedes aegypti, 1.881 estão em situação de alerta e 5041 registram alto índice de infestação e apresentam risco de surto das doenças do mosquito, alerta o último boletim do Ministério da Saúde.

De acordo com o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), Palmas (TO), Boa Vista (RR), Cuiabá (MT) e Rio Branco (AC) estão em risco de surto de dengue, zika e chikungunya.

Enquanto Manaus (AM), Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), São Luís (MA), Belém (PA), Vitória (ES), Salvador (BA), Porto Velho (RO), Goiânia (GO) e Campo Grande (MS) estão em situação de alerta. As outras capitais têm índices considerados satisfatórios.

Até o último dia 03, foram notificados 241.664 casos e 142 óbitos causados pela dengue em todo o país. Foram notificados 84.294 casos de Chikungunya, uma queda de 54% em relação ao mesmo período de 2017, e 35 pessoas morreram por causa da doença. Em relação ao Zika, foram notificados 8.024 casos, uma redução de 53% em comparação a 2017, e quatro óbitos.

** Com informações da Agência Brasil