Minas ultrapassa São Paulo em número de óbitos por febre amarela

(Foto: Divulgação/ Prefeitura de Pitangueiras)

Pela primeira vez em 2018, Minas Gerais ultrapassou o número de mortes por febre amarela registradas em São Paulo.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde mineira,  houve 86 óbitos e 38,7% de letalidade, a mais alta do país. Já em São Paulo, foram contabilizados 238 casos e 85 mortes, o que corresponde a uma letalidade de 35,7%.

Ao contrário do estado paulista, Minas registrou poucos casos no início do ano. No primeiro boletim, foram dois casos, ante 53 de São Paulo. Na semana do dia 06 de fevereiro, os casos mineiros subiram para 164 e 61 óbitos.

De acordo com a Secretaria de Saúde, foram vacinadas 84,52% da população mineira. O governo pretende imunizar ainda mais de 3 milhões de pessoas. Entre os 853 municípios, 289 ainda não alcançaram 80% da cobertura vacinal.

Alerta mundial

A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) anunciou um forte aumento exponencial no número de casos confirmados de febre amarela, principalmente, nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro.

“Os casos reportados nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro ultrapassam significativamente o notificado no período sazonal anterior, 2016-2017, com casos registrados em áreas próximas às grandes cidades”, afirma a OPAS.

De acordo com o último boletim, os locais prováveis de infecção de todos os casos confirmados correspondem a áreas com ocorrências documentadas de febre amarela em primatas.

As áreas com maior incidência de casos confirmados no Brasil são os municípios de Mairiporã (SP), Teresópolis (RJ) e os ao sul e sudeste de Belo Horizonte (MG).

Além do Brasil, Peru, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa e Suriname também apresentaram notificações da doença entre janeiro de 2016 e janeiro de 2018.

** Com informações da AFP e do Estado de Minas