9 de setembro: Dia do Médico Veterinário

(Foto: ShutterStock/ Calendário Br)

Hoje é comemorado o Dia do Médico Veterinário e o Blog +Pets homenageia e agradece a todos os profissionais que se dedicam para tratar nossos filhos pets.

A todos os veterinários, parabéns pelo seu dia!

 

9 de setembro: Dia do Médico Veterinário

Os médicos veterinários são profissionais da área da saúde responsáveis por cuidar dos animais. Eles podem atuar nas áreas clínica e cirúrgica de animais domésticos e silvestres, dentre outras atividades.

No Brasil, as duas primeiras instituições de ensino foram criadas em 1910, na cidade do Rio de Janeiro, a Escola de Medicina Veterinária do Exército e a Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária.

O Dia do Médico Veterinário é comemorado em 9 de setembro porque, em 1933, o então presidente Getúlio Vargas assinou o Decreto nº 23.133 e normatizou a atuação do médico veterinário e o ensino dessa profissão.

 

+Notícias

 

Governo de São Paulo faz parceria com site Procura-se Cachorro na busca de animais perdidos

Para ajudar na busca pelos animais domésticos perdidos, a Secretaria do Meio Ambiente do estado de São Paulo em parceria com o site “Procura-se Cachorro” abriu um espaço exclusivo em seu portal para divulgar informações, dicas e curiosidades, além de ajudar na busca pelos pets.

Foto divulgação - SMA

No site, cada animal cadastrado possui um perfil, no qual consta nome, raça, cor e o endereço onde foi perdido ou encontrado. Essas informações são cruzadas e disponibilizadas num mapa do Google, facilitando a busca.

Desde 2012, mais de 1.000 casos foram resolvidos contando com a ajuda da divulgação no site e nas redes sociais, além dos cartazes distribuídos. No próprio site você pode montar o seu e mandar direto para impressão.

Mais informações: http://www.ambiente.sp.gov.br/procurasecachorro/ e http://procurasecachorro.uol.com.br/

 

Campanha “Adotar é mais…”

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), no Brasil, existem cerca de 30 milhões de animais em estado de abandono. Para conscientização e tentar mudar essa realidade, a ONG MAPAA convidou artistas de diversos segmentos para participar da campanha “Adotar é mais que adotar”, que busca incentivar um gesto de muita importância na sociedade.

Nomes como Danilo Gentili, Jair Oliveira, Sabrina Satto, Nany People, Helena Manosso & Lucio Manosso (ex-MasterChef), Vanessa Mesquita (ex-BBB), Pedro Mariano, Cauê Moura, entre outras personalidades participam da primeira edição da campanha, emprestando sua imagem e falando em um vídeo descontraído o porquê adotaram seus animais de estimação e a importância da adoção de bichinhos sem raça definida.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação MAPAA – à esqueda a esposa Patrícia Fano, no meio a filha Rafaela e à direita Pedro Mariano)

Em terceiro vídeo da ação organizada pelo MAPAA, ONG que trabalha para conscientizar a sociedade sobre a causa animal, o cantor Pedro Mariano, um apaixonado por animais, fala sobre a alegria que a adoção de animais trouxe para a sua família.

A ação pode ser vista no site e redes sociais da ONG

 

Momento Fofura

[responsive_vid]

 

Pet da Semana: Gato Antônio

O +Pets vai trazer um depoimento por mês sobre pessoas que adotaram seus pets. Nesse primeiro post, a história é da Mariana Marques, 21 anos, estudante de Fisioterapia que fala sobre Antônio, um gatinho SRD de 5 anos.

(Foto: Arquivo Pessoal)
(Foto: Arquivo Pessoal)

Eu nunca tive gatos porque o meu pai não gostava. Quando meus pais se separaram, fui morar na casa do meu primo com minha mãe e irmã e lá também morava o Felipe, um gatinho de 10 anos, Sem Raça Definida, adotado no Centro de Zoonoses. O Felipe se sentia sozinho, então decidimos adotar outro bichinho para fazer companhia para ele. Através de um post no Facebook, conhecemos o Antônio e foi aí que sua história de vida me comoveu. Ele foi encontrado muito machucado por conta de um atropelamento e, em seguida, resgatado por uma moça muito boa, mas que não podia ficar com ele. Era levado em feiras de adoção e as pessoas optavam por levar filhotes ou gatinhos brancos, e o Antônio permanecia lá a espera de um lar. E foi assim durante um ano e meio. Imagina como deve ser sofrido ver todos os gatos conseguirem uma casa e uma família e ele sempre ficar para trás?

Quando entrei em contato com a moça que o ajudou, foram feitas muitas perguntas sobre como era a minha casa, os tratamentos que eu queria dar para o Antônio, se havia outro gato, se ele era vacinado, castrado, bem cuidado… Todas as perguntas que só quem ama mesmo os bichinhos faria – e se importaria realmente em saber -. O processo todo durou um pouco mais de um mês. No dia que fui buscá-lo, foi amor à primeira vista.

Eu sou suspeita para falar porque o acho lindo com aqueles olhinhos verdes e cores comuns, mas foi incrível! Ele miava muito, cheirava tudo ao redor, estava interessado em conhecer tudo! Foi lindo. Ali eu tive a certeza que ele, no fundo, esperava por mim e pela minha família, assim como nós o esperávamos também. Como dizem por aí: “Tudo no seu devido tempo”, e, por mais tempo que possa ter demorado o processo de adoção do Antônio, não me arrependo nem por um segundo da escolha que fiz. O começo foi conturbado porque o Felipe e o Antônio brigavam um pouco, principalmente por ciúmes. Mas hoje é só amor!

O Antônio é um gato muito carinhoso e gosta de acordar todos que moram aqui sempre às oito da manhã com aquela senhora lambida! É engraçado. Hoje em dia o Felipe se diverte por ter um amigo para brincar. Antônio é um gato que sabe o valor do amor por ter sentido na pele o que é ser abandonado. E isso ele nunca mais será.