Aplicativo será testado e pode substituir todos os documentos de identidade nacionais

(Foto: Divulgação)

Que sonho ter todos os documentos reunidos num único lugar. Economizar espaço na carteira e também memória no smartphone. Opa, peraí! No celular? Cerca de dois mil servidores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Ministério do Planejamento vão testar o Documento Nacional de Identificação (DNI), que promete ser liberado ao grande público a partir do dia 1º de julho – mas não será de uso obrigatório.

Com o intuito de facilitar o acesso a informações de identificações pessoais, o governo federal lançou no começo de fevereiro deste ano o projeto piloto do DNI, que consiste, através de aplicativo gratuito, reunir documentos válidos de identificação de vários tipos. Por enquanto, só estão disponíveis para teste o CPF e título de eleitor.

Durante esse tempo será feita uma análise minuciosa para identificar e resolver qualquer tipo de problema encontrado na prática do documento digital.

Como funciona: o aplicativo será disponibilizado tanto para o sistema operacional Android quanto iOS, e terá cerca de 15MB. Ele terá como base o recadastramento biométrico da justiça eleitoral, fazendo com que alguns brasileiros ainda não estejam aptos para realizar o cadastro no DNI. A confirmação da identificação pessoal será feita através de QR Code gerado no momento da conferência. Esse código mudará cada vez que o aplicativo for aberto para aumentar a segurança e confiabilidade do processo. Além disso, ele contará também com uma marca d’água próxima a foto do usuário que também será mutável para evitar o uso de prints para fraudes.

Assista:

Mas, atenção! Os servidores que testarão o aplicativo terão que fazer o download e realizar um pré-cadastro. Após esses procedimentos será preciso ir até um ponto de atendimento (cartório) para validar os dados através de digitais. O próprio aplicativo irá informar quais são os pontos mais próximos do local onde o usuário se encontra.

O DNI também terá uma senha de acesso com 6 dígitos para impedir que possa ser utilizado caso o aparelho seja roubado ou danificado. É importante salientar que o usuário só poderá fazer download do aplicativo em um dispositivo de cada vez.

O Documento Nacional de Identificação não vai invalidar os documentos de papel existentes, hein?!  A ideia é que outros tipos de documentos sejam adicionados ao aplicativo com o passar do tempo, como a Carteira de Habilitação (conforme eu disse aqui).

Com informações de Show Me Tech, G1 e Jornal O Globo.