App Maker cria os aplicativos que sua empresa precisa

(Foto: Unsplash)

O post de hoje é dedicado para quem entende um pouco mais de tecnologia e negócios. É fácil se acostumar a fazer as coisas de uma determinada maneira. Funcionários dependem de determinados processos para realizar tarefas no trabalho, como orçamentos ou despesas de arquivamento; “confiar no processo” nem sempre é recompensador.

O Google disponibilizou o App Maker para ajudar as empresas a repensarem o funcionamento de suas equipes. Ele é o ambiente de desenvolvimento do G Suite, que facilita a criação de aplicativos personalizados para acelerar os fluxos de trabalho e melhorar os processos.

Aplicativos para preencher lacunas de negócios

Os analistas estimam que o aplicativo personalizado para dispositivos móveis pode economizar 7,5 horas por semana para cada funcionário (ou seja, mais de uma semana de intervalos para o almoço!). No entanto, poucas empresas têm os meios, muito menos os recursos, para investir tempo e esforço na criação de aplicativos personalizados.

Mas por quê?

Como seu orçamento de TI se concentra em grandes aplicativos corporativos, como CRM, ERP e SCM e outras prioridades, a atenção dos executivos de TI se concentra na segurança e na governança. O App Maker foi criado para permitir que suas equipes criem apps para os trabalhos que esses aplicativos maiores não contemplam.

Como funciona: com o App Maker, é possível renovar os processos da empresa, como solicitar pedidos ou arquivar e resolver tickets do suporte técnico, como se você mesmo tivesse projetado e criado esses processos.

Imagine a seguinte situação: uma empresa global de software de entretenimento interativo que faz jogos. Para criar muitos de seus jogos, ela precisa ocasionalmente alocar recursos de pessoal para diferentes projetos – seja um designer necessário em um novo projeto de jogo ou um consultor de RH para aconselhar sobre a criação de um estúdio. O departamento de TI dessa multinacional pode usar o App Maker para criar um aplicativo personalizado para simplificar o fornecimento de capital humano.

Novo modelo de banco de dados e governança

Desde o lançamento do App Maker no programa Early Adopter, o Google Cloud fez alterações e adicionou novos recursos e melhorias para torná-lo ainda mais útil.

Aberto: o App Maker agora oferece suporte integrado ao Cloud SQL (conta do Google Cloud necessária), oferecendo alto desempenho, escalabilidade e conveniência. Ele também suporta o modelo “Traga seu Próprio Banco de Dados” (BYODB), permitindo que você o conecte ao seu próprio banco de dados usando JDBC (Java Database Connectivity) ou uma API REST (Representational State Transfer).

Rápido: modelos responsivos, amostras, design de interface do usuário que permite arrastar e soltar, além de modelagem de dados declarativa, facilitam para os desenvolvedores de TI ou qualquer pessoa que queira automatizar o trabalho, projetar e criar aplicativos ainda mais rapidamente.

Conectado: seja no Gmail, no Google Agenda ou no Planilhas Google, o App Maker facilita a conexão com os dados e serviços que você precisa, tudo isso ao mesmo tempo em que torna seus aplicativos mais poderosos. Além disso, é possível usar o Script do Google Apps para acessar mais de 40 serviços do Google, do Google Cloud Platform e outros serviços de terceiros que oferecem suporte a JDBC e REST.

Gerenciados: agora, os administradores do G Suite têm visibilidade sobre os aplicativos em execução em sua organização, incluindo proprietários, métricas de uso e permissões de OAuth. Os controles de lista de permissões do OAuth expandidos significam que os administradores também poderão impedir que os aplicativos sejam executados sem a aprovação deles.

O App Maker está disponível para todos os clientes do G Suite Business e Enterprise, bem como para os clientes do G Suite for Education.

*Com a colaboração da assessoria de imprensa