“Li”, primeira plataforma para carros elétricos 100% brasileira!

(Foto: Divulgação)

A Startup Mobilis, de Santa Catarina, apresenta o “Li”, primeiro veículo elétrico 100% brasileiro e movido por baterias de íons de lítio. O Fusion 360 é uma plataforma que permite que equipes distribuídas colaborem em projetos complexos e compartilhados.

Os fundadores Paulo Bosquieiro Zanetti, Mahatma Marostica e Thiago Hoeltgebaum, dizem que a nuvem facilitou muito o desenvolvimento, uma vez que a integração dos arquivos é  mais fácil e rápida”, afirma Zanetti.

“A Autodesk tem por objetivo incentivar que as pessoas usem suas ferramentas para criar qualquer coisa. Desde uma complexa construção de infraestrutura, até uma plataforma de mobilidade. A nossa missão é ser um meio para que seja possível a realização de uma ideia, independentemente do tamanho do projeto”, afirma Claudio Pinto, diretor de vendas da Autodesk.

A Mobilis desenvolve veículos elétricos de plataforma modular, para ser utilizado tanto em resorts, condomínios, indústrias e serviços públicos. A expectativa é que, em breve, um modelo de automóvel urbano seja lançado e disponibilizado para o mercado consumidor brasileiro.

Salão do Automóvel é o mais elétrico?

Segundo a jornalista especializada, Cleide Silva, do Estadão, sim! Serão mais de 20 veículos de montadoras variadas. Já no primeiro dia do evento haverá uma carreata pela cidade com cerca de 30 carros movidos a eletricidade, promovida pela Abravei, associação de donos de veículos inovadores.

Eles ainda têm participação nanica de 0,2% no mercado, com apenas 2.754 unidades vendidas de janeiro a setembro de um total de 1,78 milhão de automóveis. Modelos híbridos e elétricos, contudo, começam a aparecer nas ruas brasileiras e serão as estrelas da 30.ª edição do Salão do Automóvel de São Paulo, data que marca também o Dia do Veículo Elétrico em SP, capital. “Vai ser o salão mais elétrico de todos”, afirma o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale.

Outra novidade do salão será um espaço para palestras sobre mobilidade, com temas voltados aos veículos eletrificados, conectados e autônomo.

 O IPI para híbridos vai variar de 7% a 20% e, para elétricos, de 7% a 18%, dependendo da eficiência energética e do peso do carro. Hoje é de 25%. A indústria defendia IPI de 7% para todos os veículos “verdes”, mesma alíquota dos carros 1.0.

A medida vai aumentar a oferta de modelos menos poluentes ou totalmente limpos no País, “mas ainda não é suficiente para promover uma massificação”, ressalta Megale.

Dos 2.754 veículos “verdes” vendidos neste ano, apenas 158 são elétricos e os demais são híbridos. Em igual período de 2017 foram vendidos 2.352 veículos, sendo 111 elétricos e os outros híbridos.

A BMW levará ao salão três híbridos plug in, o i3 e o i8 – com preços entre R$ 200 e R$ 800 mil –, e uma novidade ainda não revelada. A Toyota trará o inédito Prius Híbrido Flex, que usa etanol no lugar da gasolina para gerar eletricidade. A Lexus, marca de luxo do grupo, vai mostrar o NX 300, que custa R$ 220 mil. A Audi terá quatro híbridos no estande (A6, A7, A8 e Q8), a Ford duas versões do Fusion (uma delas plug-in), a Kia três (Soul EV, Optima e Niro) e a Volkswagen o Golf GTE. A Volvo oferece os híbridos plug-in XC90, XC60 e S90T8. A BYD vende os elétricos E5 e E6 e em 2019 trará o Song. A Tesla tem as versões S e X, que custam R$ 1 milhão.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Acelerando elétricos

√ Tesla divulga produção recorde, de 80 mil carros, no terceiro trimestre
√ Volkswagen Golf terá versões híbrida e elétrica no Brasil
√ Harley-Davidson mostra versão de produção da elétrica LiveWire
√ Renault vai produzir carro elétrico compacto e acessível