Mais energia para carros elétricos

electric-car-1458836_1920
(Foto: Pixabay)

Segundo dados do Denatran, circulam pouco mais de sete mil carros elétricos e híbridos. Automóveis totalmente eletrificados ainda são raros e enfrentam dificuldades para recarregar as baterias. Calcula-se que os pontos de recarga não passem de 50 em todo o país.

No mundo, o número supera os seis milhões de carros vendidos. Trata-se de um verdadeiro fenômeno. A nova versão local do Prius, com motor híbrido flex e desenvolvido em parceria com as universidades de Brasília (UNB) e de São Paulo (USP), tem estreia prevista para o segundo semestre deste ano. Mas o carro continuará sendo importado do Japão.

O Ministério da Indústria e Comércio deve anunciar a diminuição do imposto de 25% para 7%. Com a diminuição, o IPI dos elétricos será equivalente ao dos carros populares com motores flex 1.0. “A tributação do veículo elétrico hoje é a maior alíquota de IPI existente, paga 25%. Não tem nenhum sentido, ela tem que cair. Isso deve acontecer nas próximas semanas”, diz Antonio Megale, presidente da Anfavea, associação que reúne as montadoras no país.

A General Motors já anunciou a chegada do Chevrolet Bolt EV, totalmente movido a eletricidade e com preço nos Estados Unidos de US$ 37,5 mil. O Bolt já foi testado no Brasil e deve desembarcar no mercado ainda este ano. Com autonomia superior a 300 quilômetros, o modelo está sendo oferecido às startups que estão investindo no mercado de compartilhamento de veículos, uma tendência mundial que, tudo indica, veio para ficar.

A Volkswagen fará o lançamento oficial do E-Golf, uma versão 100% elétrica que será importada da Alemanha, no próximo Salão do Automóvel Brasil.  Junto com ele, a Volks também traz um modelo híbrido do Golf, o GTE, de alto desempenho, com motores elétrico e turbo a gasolina. A ideia da montadora é ser a primeira marca a oferecer um carro totalmente elétrico ao consumidor brasileiro. Junto com a apresentação dos carros, serão promovidas ações de marketing incentivando o uso dos carros elétricos e híbridos no país.

A japonesa Toyota, que em 2017 alcançou o melhor desempenho em 60 anos de Brasil, com quase 200 mil unidades vendidas, quer disseminar o avanço da tecnologia híbrida com o modelo Prius. No ano passado, foram emplacadas no mercado brasileiro 2.407 unidades do modelo, um avanço de 396% em relação a 2016. Desde 2013, quando foram vendidas as primeiras unidades do Prius no Brasil, foram comercializadas 3.504 unidades.

A Nissan acaba de anunciar o Leaf, um dos carros elétricos mais vendidos do mundo. O modelo chegou a vir para o Brasil entre 2014 e 2016, quando cerca de 20 unidades rodaram como táxi nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

A francesa Renault montou um projeto com a Usina de Itaipu, que adquiriu uma frota do Twizy, compacto para duas pessoas adaptado para fazer compartilhamento entre os funcionários da empresa de energia. Os carrinhos rodam sem chave e são acionados por meio dos crachás dos empregados dentro e fora da área da empresa.

Recentemente, a usina também adquiriu 20 unidades do modelo ZOE, um hatch compacto 100% elétrico e, que também será utilizado no projeto da Itaipu. Os dois modelos ainda não têm previsão de venda no Brasil, mas o ZOE pode se tornar o primeiro veículo elétrico da Renault com produção no país.

Todas as montadoras têm planos ambiciosos para os elétricos. “Observamos que a aceitação da tecnologia elétrica tem crescido significativamente entre os consumidores brasileiros, com avanço de tecnologia, custos e regularização”, diz Fernando Pfeiffer, gerente de marketing da Ford Brasil. “Mantemos o foco nessa tendência de mercado e testamos soluções capazes de satisfazer essas demandas.”

A Ford, que ainda não tem uma versão 100% elétrica, comercializa no mercado brasileiro o Fusion Hybrid, lançado em 2010, com sistema de propulsão que combina motor a gasolina e elétrico, alimentado por bateria de alta tensão. Segundo Pfeiffer, a montadora anunciou no ano passado a criação de uma equipe focada em desenvolver uma nova geração desses veículos. “É uma iniciativa para acelerar o processo de criação e implementação de veículos puramente elétricos”, completa o executivo. Na tomada

A frota de veículos elétricos em circulação (números de 2017)

  • China 450 mil
  • EUA 100 mil
  • Brasil 7.240 mil
  • 3.296 é o número de unidades vendidas no Brasil em 2017
  • 156 mil unidades é o potencial do mercado de elétricos no país, ou 7% das vendas em 2017

As previsões para o setor Frota Mundial de Elétricos e Híbridos

  • Em 2020: 13 milhões de veículos
  • Em 2030: 140 milhões de veículos, ou 10% da frota mundial

** Estudo da Accenture Strategy e da FGV Energia

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE – Negócios – Brasília

 

Plugados, não plugados e híbridos

Bentley  impressiona com estação de carregamento elétrico

(Foto: Divulgação)

No Geneva Auto Show, a Bentley, cuja a dona é a Volks, revelou o Bentayga Hybrid, uma versão híbrida plug-in de seu popular SUV de luxo. É um primeiro passo  na eletrificação da montadora para 2019.

BP aponta impacto de carros elétricos na demanda de petróleo

O surgimento de carros elétricos de condução automática e viagens compartilhadas devem abalar o consumo de petróleo até 2040, disse a gigante de petróleo e gás BP, prevendo um pico na demanda pela primeira vez.