Primeira “eHighway” do mundo está na Alemanha

(Foto: Pixabay)

Promissor, mas ainda ficção científica para a maioria dos países desenvolvidos. O  trecho de 6 km de rodovia elétrica  é um grand pit-stop perto de Frankfurt, onde caminhões híbridos se abastecem, numa parceria entre o governo de Hesse e a Siemens.

Oficialmente chamado ELISA (Electrified Innovative Heavy Traffic na Autobahn), a rodovia tem cabos eletrificados de 670 volts ao longo de todo o trecho, semelhante aos nossos trólebus. Os caminhões usam de hastes para se conectar aos cabos que alimentam de energia durante o trajeto, com velocidade abaixo de 56 km/h.

A Siemens informa que  a emissão de CO2 será reduzida em até 6 milhões de toneladas anuais, se 30% das estradas alemãs aderirem ao projeto, que ficará em teste até 2022.

Veja o vídeo:

Patinetes elétricos em calçadas? Nem pensar, na França

Lá como cá, patinetes elétricos invadiram as grandes cidades. Paris já conta com 15 mil patinetes elétricos e a previsão é chegar aos 40 mil até o final do ano. O hush tem provocado reclamações de pedestres, por isso a ministra dos transportes, Elisabeth Borne, anunciou que o país vai proibir o uso de patinetes ficará limitado às ruas e ciclovias especiais.. Segundo o jornal Le Parisien, a multa é de 135 euros.

Estudo do Centro de Pesquisa em Energia Solar, da cidade de Baden-Württemberg, na Alemanha, estima que, em 2023, 5 milhões elétricos estarão nas ruas. Para dar conta dessa demanda, a BMW já oferece curso de especialização para mecânicos da rede, inclusive no Brasil.

No Reino Unido,  97% dos mecânicos profissionais não estão qualificados para trabalhar com carros elétricos, segundo as montadoras locais. A previsão é que 25 mil novas vagas serão abertas nos próximos 10 anos para atender o aumento expressivo da frota de veículos eletrificados.