Primeiro centro de treinamento de veículos elétricos quer formar futuros mecânicos

(Foto: Pixabay)

A Renault pretende instalar em Foz do Iguaçu, no Paraná, o primeiro centro do país especializado em formação de profissionais para manutenção de veículos elétricos. O  protocolo de intenções foi assinado pelos diretores da Renault, Eric Feunteun, o de Itaipu Binacional, Marcos Stamm; e o superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Jorge Callado.

Chamado de Renault Academy, o novo centro vai operar em Itaipu, com capacidade para receber profissionais de toda a rede de concessionárias da marca. São mais de 300 pontos  de venda espalhados pelo país.

“Até agora, os veículos elétricos [no Brasil] eram considerados um sonho para poucos. Porém, de agora em diante, será uma realidade disponível para muitos. Os preços devem despencar e as vendas vão aumentar ano a ano”.

Nissan LeafRenault Zoe Chevrolet Bolt chegam em 2019

Com preços na casa de 140 mil reais, montadoras anunciam chegada na contramão do carro popular, mesmo que os veículos sejam de pequeno e médio portes.

Presidente da Audi não vê urgência em veículos  elétricos no Brasil

À revista Exame, Johannes Roscheck, presidente da Audi do Brasil, deu a seguinte resposta sobre quais são os principais desafios para popularizar esses veículos?

Johannes Roscheck: Esse tema está vinculado à economia. O Brasil é número 1 em biocombustível. Pelo cuidado com o meio ambiente, seria o suficiente ter uma frota de carros flex, com todo mundo usando bioetanol, sem caminhões velhos nas ruas. Os carros novos já resolvem o problema de emissão demasiada de CO2. O etanol, como biocombustível de primeira geração, faz com que praticamente 80% de tudo que é queimado seja neutro em CO2. O Brasil, por isso, não teria tanta necessidade de se mover em direção ao carro elétrico. Nos Estados Unidos, a história é diferente. O movimento de cuidar do meio ambiente é forte e o país não tem tanto combustível próprio. A necessidade de reduzir poluentes é muito maior. Isso cria um ambiente favorável a uma tecnologia nova.

Por outro lado, precisamos falar de geração de energia elétrica no Brasil. Grande parte é gerada em hidrelétricas, mais de 80%. EUA e Europa têm menos do que isso. Um carro movido a eletricidade nos Estados Unidos pode ser mais negativo para o meio ambiente do que o a gasolina. É uma discussão de dilema de Tostines.

Volks quer rivalizar com Tesla por carro US$ 23 mil

Companhia pretende converter três fábricas, que produzirão os novos modelos e, assim, proteger empregos na Alemanha.

No plano conhecido como “MEB entry” está a produção de 200 mil unidades, que deve ser apresentado na próxima  reunião do conselho da montadora, em 16 de novembro, disse a fonte. Outro veículo – “I.D. Aero” – será fabricado em uma unidade que já produz o sedã Passat, disse a mesma fonte no blog da Exame.

Hercules apresenta motor elétrico no Salão do Automóvel de São Paulo

“Vamos apresentar a tecnologia powertrain (motor, inversores e transmissão) para carros de pequeno porte, carros de golfe, veículos off-road e rebocadores. É uma solução completa, com vantagens superiores aos padrões existentes no mercado, como por exemplo a parametrização fácil via ethernet, que dispensa a Interface Homem Máquina (IHM) externa ou programadores externos. O motor também é muito silencioso, eficiente, tem um design compacto e robusto, conector automotivo e não emite nenhum tipo de poluentes”, explica Drauzio Menezes Diretor da Hercules Motores Elétricos.