Como funcionam os oráculos?

(Foto: Pixabay)

Ossos de animais, conchas, moedas, pedras, varetas, cartas. Muitos têm sido os meios que o homem encontrou desde o início de sua existência para tentar entender a si próprio e o mundo que rodeia. Conhecidos como oráculos, estes instrumentos ancestrais são uma das formas de autoconhecimento mais importantes e mal compreendidas por nós até hoje. A ignorância sobre sua real função e seu mau uso através tempos fez com que haja muito preconceito em torno dos instrumentos criados para leitura e compreensão das informações do inconsciente para evolução pessoal e coletiva.

Comecei a estudar e a fazer uso terapêutico de oráculos – cartas, em especial – há cerca de cinco anos e muitos foram os benefícios para o meu processo de cura. Em diversos momentos, o baralho cigano e o tarot me ajudaram a entender a origem dos meus medos, processos de autossabotagem e padrões de comportamentos negativos para que, a partir disso, eu pudesse fazer escolhas mais saudáveis e ampliar meu estado de consciência e integridade de estar e ser no mundo.

Por isso, quero compartilhar de uma maneira bem breve um pouco do que aprendi com a minha experiência. Quem sabe, pode ser um caminho de cura pra você também!

Como funcionam – Pelo meu entendimento, os oráculos são um instrumento de acesso a informações do inconsciente pessoal e coletivo, através de símbolos e arquétipos. Esta parte inconsciente pode ser chamada também de alma, espírito ou eu superior, por exemplo. Nesta abordagem, não se trata, então, de algo mágico ou sobrenatural, como muita gente pensa. Apenas uma forma de estabelecer um elo de comunicação entre essas nossas partes que não se conversam de forma direta.

Se usado de forma consciente e ética, por uma pessoa capacitada, os oráculos podem ajudar a entender como funcionamos, agimos, fazemos escolhas, repetimos erros, que fatores externos (incluindo pessoas) nos influenciam de forma direta e indireta. Tudo isso para que possamos nos responsabilizar e realizar mudanças positivas em nossa vidas, curando feridas, superando deficiências, desenvolvendo potenciais, explorando dons e talentos, enfim, alcançar um estado de autorrealização.

Tudo o que o oráculo revela está contido no campo de informação do consulente (quem está fazendo a consulta), ou seja, no seu inconsciente, aquela parte que vai além dos cinco sentidos, que é capaz de captar sinais e informações do campo de outras pessoas, dos ambientes e das situações. Isso quer dizer que o oráculo traz à luz aquilo que está oculto naquele momento. Assim, é possível ter acesso a informações do passado, do presente e ter uma noção das tendências e possibilidades do futuro próximo.

Sempre que faço uma consulta, peço que me seja revelado apenas aquilo que é necessário para a compreensão e melhor resolução da questão, para mim e todos os envolvidos, dentro da ética e da justiça divina. Na minha opinião (e por experiência própria), não vale a pena escarafunchar demais certas questões, pois a mente racional é insaciável e incapaz de resolver a maior parte dos problemas. É possível que você se embole mais e não saia do lugar, o que não faz nenhum sentido, não é?

Dá pra saber do futuro? – Sim, eu vou falar do futuro! Aliás, esta é a principal motivação da maioria das pessoas que consultam oráculos. Nosso medo faz com que tenhamos a necessidade de controlar as situações, o que é tão humano quando ilusório. O que eu aprendi consultando e estudando oráculos é que é possível apenas ter uma ideia, falar das probabilidades do que pode ser o seu futuro próximo, de acordo com o que o seu aparelho inconsciente consegue captar.

O que vai acontecer, de fato, é quase impossível saber, principalmente se este futuro incluir outras pessoas (sempre inclui) que, assim como você, possuem soberano livre arbítrio e podem mudar de ideia e direção a qualquer momento, o que fará com que toda a situação mude. Há casos em que eu acredito ser muito válida a consulta das tendências futuras perante escolhas importantes, pois isto pode permitir que você opte pelo melhor caminho para você naquele momento. Eu mesma já evitei muito problema desta forma!

Posso saber da vida do outro?  Poder, pode. Isso porque, como já dito, o oráculo vai mostrar aquilo que o inconsciente é capaz de captar do campo de informações das pessoas, lugares e situações, por meio de mecanismos que vão além dos cinco sentidos conscientes. Quanto mais próxima a pessoa for, quanto maior o acesso ao campo de informações, mais você pode saber, contanto que haja uma finalidade legítima.

Uso consciente – É importante entender que o uso terapêutico de oráculos deve ser limitado. Estes instrumentos devem servir para nos tornar mais conscientes e livres e não dependentes de leituras e consultas para tomar toda e qualquer decisão. Caso você mesmo queira fazer a leitura do seu campo, é preciso lembrar que a mente racional é bastante complexa e tendenciosa, o que pode fazer com que o seu entendimento não seja o mais preciso e isso é bastante perigoso.

Quando a coisa fica muito confusa, eu recorro à leitura de pessoas muito capacitadas e idôneas, que têm me ajudado muito. Caso você deseje utilizar oráculos, tome este cuidado também, certo? Já no dia a dia, gosto muito de tirar uma carta de um dos meus oráculos (Cartas do Caminho Sagrado, Cartas Xamânicas, Oráculo das Deusas, Tarot Egípcio ou Marselha) pela manhã, pra ter uma mensagem para o dia, logo após as minhas orações. Às vezes é um incentivo, uma inspiração e até um alerta para algo importante que a alma já captou.

O melhor oráculo – Por fim, o mais importante oráculo de todos é o coração, este centro de inteligência infalível, mais rápido que a mente racional, mais preciso que qualquer máquina já inventada. Ele pode ser acessado a qualquer momento, através do silêncio interior. Então, siga seu coração e confie na vida, por que há uma inteligência superior à nossa, que nos guia amorosamente em direção à luz. Sempre!