O QUE ERA BOM FICOU PIOR!

Há algum tempo, a gente ouve muita gente dizer que a água é um bem finito, ou seja, que ela pode acabar, mas, olhando para o mar, as pessoas acabam se esquecendo dessa realidade e preferem dar asas ao romantismo.

Pois é, mas, independente da falta de chuva aqui ou acolá, ou das enchentes em pontos específicos do país, devemos cair na real e perceber que a devastação imposta a este imenso Brasil, por várias décadas, acabou por destruir o equilíbrio do sistema e as consequências estão chegando de forma avassaladora.

Parece difícil acreditar, mas, está diante dos nossos olhos a secura dos rios, lagos, fontes e nascentes.

Só para dar um exemplo, no começo deste século, as fotos de uma represa média no interior do estado de São Paulo eram assim.

foto 1
(Foto: Luiz Fernando Magliocca)
foto 2
(Foto: Luiz Fernando Magliocca)

O tempo passou, a estiagem chegou e a água foi se escoando. Aquela vista maravilhosa passou a ter cores diferentes: na linha do verde da mata que se encontrava com o azul da água começou a aparecer uma intrusa cor marrom.

foto 3
(Foto: Luiz Fernando Magliocca)

Pequenas vegetações, galhos submersos, troncos apodrecidos e até construções do passado, destruídas pela violência da água, na época da construção da represa, começaram a aflorar.

O píer que dava acesso a quem quisesse passear de barco ou mesmo pescar, ficou à deriva.

(Foto: Luiz Fernando Magliocca)
(Foto: Luiz Fernando Magliocca)

E a aquela bucólica paisagem ficou assim…

(Foto: Luiz Fernando Magliocca)
(Foto: Luiz Fernando Magliocca)

Por essas e outras é que devemos repensar nossa relação com a água, rever nossos procedimentos em casa, no escritório, no hotel, na casa de amigos e parentes e até quando saímos para o lazer de um ensolarado fim de semana.

Não adianta se preocupar só com o hoje, pois o amanhã já está comprometido e cabe a nós deixar um futuro equilibrado e sustentável para nossos filhos!